Giro

Recurso do Google Earth mostra 40 anos de destruição climatica da Terra; veja

Crédito: Reprodução/NASA

O recurso, habilitado por 24 milhões de fotos de satélite compiladas em uma experiência 4D, significa que qualquer pessoa pode ver como o mundo mudou (Crédito: Reprodução/NASA)

O Google anunciou sua maior atualização do Google Earth em anos: a capacidade de visualizar os últimos 37 anos do nosso planeta em um novo recurso chamado ‘Timelapse’.

O recurso, habilitado por 24 milhões de fotos de satélite compiladas em uma experiência 4D, significa que qualquer pessoa pode ver como o mundo mudou e obter uma imagem melhor das dificuldades ambientais que enfrentamos agora.

+ Resfriar o planeta? Cancelado o lançamento de balão científico na Suécia

Um representante do Google, durante o anúncio, disse que o nosso planeta passou por rápidas mudanças ambientais na última metade do século – mais do que em qualquer outro momento da história da humanidade. “Muitos de nós experimentamos essas mudanças em nossas próprias comunidades; Eu mesmo estava entre os milhares de californianos evacuados de suas casas durante os incêndios florestais do estado no ano passado. Para outras pessoas, os efeitos da mudança climática parecem abstratos e distantes, como o derretimento das calotas polares e o recuo das geleiras”.

Com o Timelapse no Google Earth é possível ter uma imagem mais clara de nosso planeta em mudança na ponta dos dedos – que mostra não apenas problemas, mas também soluções, bem como fenômenos naturais fascinantemente bonitos que se desenvolvem ao longo de décadas.

Google trabalhou com especialistas da Carnegie Mellon University CRIAR Lab para desenvolver Timelapse, com visitas guiadas em cinco tópicos ambientais: ‘mudança floresta ‘, ‘crescimento urbano ‘, ‘ temperaturas de aquecimento ‘, ‘fontes de energia ‘, e do planeta ‘beleza frágil’.

+ Jaguar Land Rover: a luta contra a falta de confiança dos consumidores

Tal façanha tecnológica não foi fácil; foram necessários mais de duas milhões de horas de processamento no Google Cloud para compilar os 20 petabytes de imagens de satélite em um único mosaico de vídeo do tamanho de 4,4 terapixels, composto de quatrilhões de pixels. O Google Earth será atualizado anualmente com novas imagens do Timelapse na próxima década.

A história do Google Earth é peculiar. A tecnologia foi originalmente usada para visualizar campos de batalha durante a Guerra do Iraque, quando estava sendo investida pela CIA .

O Google comprou a Keyhole, a empresa que desenvolveu o programa ‘Earthviewer’, como era chamado, imediatamente em 2004. Na época, muitas das imagens do Google Earth eram dados comercialmente disponíveis de satélites militares dos EUA, mas a empresa acabou substituindo-os por seu conteúdo do Street View – do qual detém os direitos autorais – de modo que não teria que pixelizar áreas sensíveis.

Nosso próprio planeta não é o único visível no Google Earth. Em 2017, o Google também introduziu a capacidade de olhar para planetas, planetas anões, luas e a Estação Espacial Internacional no software.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel