Sustentabilidade

Reciclagem de metais de terras raras da Apple reforça resposta ambiental

Crédito: Apple Inc./AFP

A vice-presidente de Meio Ambiente, Política e Iniciativas Sociais da Apple, Lisa Jackson, fala sobre políticas ambientais durante evento da Apple transmitido em 13 de outubro (Crédito: Apple Inc./AFP)

Ao apresentar sua nova linha de iPhones, a Apple anunciou nesta terça-feira (13) que os dispositivos seriam produzidos com materiais reciclados de terras raras, como parte de uma iniciativa ambiental reforçada que também tem implicações geopolíticas.

Anunciada como parte de uma série de ações de sustentabilidade, a Apple disse que a mudança se baseia em iniciativas anteriores, incluindo sua promessa de se tornar “100 por cento neutra em carbono” em todos os aspectos de seus negócios.

+iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA

+Facebook proíbe anúncios que desencorajam vacinas

A vice-presidente de política ambiental da Apple, Lisa Jackson, afirmou durante o evento on-line de apresentação dos novos celulares iPhone 12 que “pela primeira vez, estamos usando elementos de terras raras 100% reciclados em todos os ímãs, inclusive na câmera, na sensibilidade ao toque e nos conectores MagSafe”.

O anúncio surge em meio a preocupações crescentes sobre o lixo eletrônico originado por bilhões de smartphones, conforme os consumidores compram novos modelos, e com as crescentes tensões políticas sobre os metais de terras raras necessários para muitos eletrônicos.

Ativistas expressaram preocupação com o impacto ambiental da mineração de terras raras, e alguns dos materiais vêm de países apontados por violações de direitos humanos e trabalhistas.

A China, cenário de acidentes de mineração fatais, tem se destacado por seu despejo de lixo tóxico em Baotou, na Mongólia Interior, enquanto Pequim impulsiona a produção global de metais de terras raras.

Em meio às tensões comerciais sino-americanas, a China ameaçou cortar o fornecimento de alguns materiais, aumentando o temor de escassez.

De acordo com o Serviço Geológico dos EUA, a China tem os maiores depósitos de terras raras do mundo, com 44 milhões de toneladas de reservas. O Vietnã e o Brasil têm 22 milhões de toneladas cada.

As dificuldades com os depósitos dos Estados Unidos por duas vezes forçaram o fechamento da única mina do país, em Mountain Pass, no estado da Califórnia. E a capacidade de refino é limitada fora da China, segundo analistas.

A Apple também disse que não incluirá fones de ouvido ou carregadores na caixa dos novos iPhones, já que a maioria dos consumidores já possui esses itens. Isso reduzirá a fabricação e deixará as embalagens mais leves para o transporte.

Jackson afirmou que a mudança faz parte dos esforços da Apple “para reduzir o desperdício e usar menos materiais”.

Em julho, a Apple se comprometeu com a neutralidade de carbono em todos os seus negócios, incluindo sua cadeia de fornecimento, até 2030, em uma intensificação de esforços para combater as mudanças climáticas.

A gigante da tecnologia, que já é neutra em carbono em suas operações corporativas, disse que a mudança não representará nenhum impacto climático.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel