Edição nº 1126 20.06 Ver ediçõs anteriores

Reajustes no setor público são um tapa na cara da população

Apesar do rombo nas contas públicas, o presidente Michel Temer autorizou os reajustes salariais

O Brasil está no vermelho. Há vários anos, o rombo das contas públicas vem superando a marca dos R$ 100 bilhões. Em 2019, qualquer que seja o presidente da República, o problema se repetirá. Eis que, neste contexto, o governo federal resolveu promover uma farra fiscal com a conivência dos principais candidatos.

Na quarta-feira 29, o presidente Michel Temer bateu martelo em dois reajustes salariais. Um para juízes federais e outro para 23 carreiras de servidores públicos da União. Na ponta do lápis, serão gastos mais R$ 8 bilhões em 2019, fora eventual efeito cascata em Estados e municípios. Por mais justa que seja a reivindicação dos servidores – a inflação realmente corrói o poder de compra ao longo dos anos –, o momento é totalmente inadequado. Falta bom senso em Brasília.

Como o País, felizmente, tem um teto para os gastos públicos em vigor, essa farra fiscal vai obrigar o próximo presidente a cortar recursos equivalentes em outras áreas. As vítimas serão a saúde, a educação, a segurança pública, os programas sociais e os investimentos. São todos cortes burros e que jogam contra a sociedade e o crescimento econômico.

Alguns dirão que é melhor, então, acabar com a regra do teto, que congela por dez anos (renováveis por mais dez anos) o orçamento federal em termos reais (descontada a inflação). Lamento informar que essa não é a melhor solução. Se com o teto em vigor, já há farra fiscal, imagine sem teto. A Reforma da Previdência Social, por exemplo, seria empurrada com a barriga durante muitos anos.

Mais grave do que a decisão do atual presidente, já em clima de fim de governo, é a omissão dos principais candidatos. Ninguém tem coragem de se posicionar contra os servidores públicos. O silêncio é uma covardia com os eleitores. E a farra fiscal, um tapa na cara da população.


Mais posts

Reforma sem Estados e municípios é remendo

Olá, pessoal, tudo bem? A Reforma da Previdência está chegando a um momento decisivo no Congresso Nacional. O relatório final, que será [...]

O PIB encolheu. A culpa é dos Três Poderes!

Olá, pessoal, tudo bem? Na economia, tudo mal. O Produto Interno Bruto (PIB) encolheu 0,2% no primeiro trimestre em relação ao fim do [...]

Brasil vai colher mais um Pibinho. Por quê?

Olá, pessoal, tudo bem? Vou direto ao ponto. A agenda econômica do ministro Paulo Guedes é muito boa, mas a articulação política do [...]

Intervenção na Petrobras foi a maior canelada de Bolsonaro até agora

Olá, pessoal, tudo bem? Quero deixar claro que considero a agenda econômica do governo Bolsonaro muito boa. A agenda, é claro, foi [...]

O estrangeiro tem apetite pelo Brasil

Olá, pessoal, tudo bem? É inegável o sucesso do leilão de 12 aeroportos realizado na sexta-feira 15. Com ágio de 986%, o governo [...]
Ver mais