Semanal

Ranking: as 50 companhias mais inovadoras do mundo

Crédito: Pavel Danilyuk/Pexels

Para o Boston Consulting Group, autor do ranking, inovação bem-sucedida exige três coisas: tornar a inovação uma prioridade; comprometer investimento e talento nisso; estar pronto para transformar projetos em resultados (Crédito: Pavel Danilyuk/Pexels)

Desde 2005, o Boston Consulting Group (BCG) realiza seu ranking Most Innovative Companies. Na edição 2021, recém-divulgada, a boa notícia foi que dos 1,5 mil executivos da área de inovação do mundo todo ouvidos pela pesquisa, 75% disseram que o tema se tornou uma das três prioridades em suas empresas, independentemente da área de atuação. Um salto de 10 pontos porcentuais em relação ao ranking de 2020. “Para a maioria dos entrevistados, a experiência com a Covid-19 destacou a importância crítica da inovação”, afirmou o BCG na abertura de seu relatório.

+Dona do iFood recebe aporte de mais de R$ 1 bilhão

Entre as marcas, as quatro primeiras posições do ranking não foram alteradas e a Apple manteve-se na ponta, seguida por Alphabet (Google), Amazon e Microsoft. Na 5ª posição vem a Tesla, que desbancou a Samsung (que caiu para o 6º lugar na lista deste ano). Mas a maior surpresa foi a volta ao ranking da Pfizer, na 10ª colocação, resultado diretamente vinculado ao desenvolvimento de sua vacina contra a Covid. No ranking elaborado há 16 anos, o Top 10 teve Apple (1º), 3M (2º), GE e Microsoft (empatados em 3º), Sony (5º), Dell (6º), IBM (7º), Google (8º) e Nokia e Procter & Gamble (empatados em 9º).

Para o BCG, “a inovação bem-sucedida exige três coisas: tornar a inovação uma prioridade, comprometer investimento e talento nisso e, por fim, estar pronto para transformar projetos em resultados”. O ranking leva em conta quatro eixos. Global Mindshare (o voto de todos os 1,5 mil executivos de inovação ouvidos), Industry Peer Review (baseado nas escolhas de executivos dos mesmos segmentos de atuação), Industry Disruption (com peso nas avaliações de todos os segmentos econômicos) e Value Creation (o retorno aos acionistas nos últimos três anos).



A seguir, a lista de das 50+ de 2021:

50. Bayer
49. AstraZeneca
48. Roche
47. GE
46. Comcast
45. Mitsubishi
44. Disney
43. Philips
42. Moderna
41. Inditex
40. SAP
39. Hyundai
38. PepsiCo
37. e-Bay
36. Novartis
35. Merck
34. Adidas
33. Fast Retailing
32. Ikea
31. Xiaomi
30. Bosch
29. Abbott
28. Coca-Cola
27. Procter & Gamble
26. Tencent
25. Lenovo
24. Nike
23. Walmart
22. Salesforce
21. Toyota
20. Johnson & Johnson
19. HP
18. Target
17. Cisco
16. Dell
15. Oracle
14. Alibaba
13. Facebook
12. LG
11. Siemens
10. Pfizer
9. Sony
8. Huawei
7. IBM
6. Samsung
5. Tesla
4. Microsoft
3. Amazon
2. Alphabet/Google
1. Apple

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km