Finanças

“Quem mais contrariava o Amador Aguiar era eu”

Minutos depois de anunciar sua aposentadoria do Conselho em uma entrevista coletiva, Lázaro de Mello Brandão conversou com a DINHEIRO. Ele disse que deu apenas um conselho a seu sucessor, Luis Carlos Trabuco: “cuide-se”.

“Quem mais contrariava o Amador Aguiar era eu”

Há cinco anos, em uma entrevista à DINHEIRO, quando perguntado sobre aposentadoria, o senhor respondeu que não se aposentava porque, depois de tanto tempo de Bradesco, o senhor iria se sentir um peixe fora d água. Qual é a sua sensação agora?
Estou tranquilo. Foi um processo natural, pensado. E para mim não haverá muitas mudanças. Ainda tenho algumas atribuições, como a presidência dos conselhos da Cidade de Deus e da Fundação Bradesco. Uma sala que eu uso de vez em quando será mantida, mantiveram a minha mesa, os serviços que eu uso para algumas coisas da minha família. Então, para mim será um processo natural.

Foi uma surpresa para o senhor?
A decisão? Foi.

Quando o senhor decidiu?
Estava maturando. Já tinha sido cogitado na assembleia de março, mas eu não estava à vontade para entregar o cargo. Achei que faltavam alguns detalhes. Tem toda uma maturação, não tem um momento certo. Houve maturação e avaliação. Se não se fizesse, havia o risco de o comando ficar muito esclerosado.

Qual foi a reação da família?
Eles disseram “está na hora”. Não sei se é positivo ou negativo, eles acham que a gente não tem família.

Teve uma transição, com o senhor acompanhando o dia a dia do Trabuco?
Não. Nossa interpretação é buscar sempre o consenso. Antes de votarmos, procuramos debater o suficiente para que haja um consenso. Isso dá uma unidade forte. Eu costumo dizer que o Supremo (Tribunal Federal) não é supremo, porque ele está dividido. Ele não é supremo se toma decisão e há divisão interna. Aqui achamos que não tem de ter divisão. Abrimos as pré-condições, debatemos, para que haja unidade nas decisões do que se vai fazer. Isso pode parecer estranho, mas é algo que fortalece as decisões.

Nesses anos, o senhor se divertiu?
Depende da extensão do divertimento. Divertimentos modestos, sim. Eu procurei sempre fazer as coisas com muito empenho. Frequentemente, quem mais contrariava o seu Amador Aguiar era eu. Mas eu o contrariava dando voltas. Às vezes eu tinha de dar uma volta grande. Ele aceitava que eu o contrariasse, isso para mim era uma vitória.

Algum arrependimento?
Não.

Algum banco que queria ter comprado e não comprou?
Não. Isso faz parte do jogo

E que conselho o senhor deu para o senhor Trabuco, hoje cedo, no primeiro dia dele na presidência do Conselho?
Cuide-se. Agora você tem plenos poderes.