Negócios

Quem é Andrea Mansano, a mulher que empodera mulheres e… lidera uma edtech, toca numa banda e corre provas de motocross

Conheça Andrea Mansano, vocalista de uma banda, piloto de motocross, fundadora de projeto social, líder de grupo de mulheres e investidora. Ah, também é CEO da edtech Emeritus.

Crédito: Orlando Soares

A ARTISTA Andrea Mansano é vocalista em uma banda de rock formada por CEOs que arrecada fundos para projetos sociais. (Crédito: Orlando Soares)

Poderíamos escolher sobre qual Andrea Mansano iríamos escrever. A vocalista de uma banda de rock ou a piloto de motocross. A líder de um grupo de 400 mulheres que trabalham para o sucesso de outras mulheres ou a fundadora de um projeto que ensina música para crianças carentes. A investidora-anjo de dez startups ou a embaixadora do Mulheres ao Cubo, do Cubo Itaú. E ainda sobra tempo – se assim podemos dizer – para suas atribuições de CEO da Emeritus na América Latina, que oferece cursos e treinamentos de alta qualidade para profissionais, empresas e governos em todo o mundo. Aliás, sobra pouco tempo. Ela dorme quatro horas por dia. Surpreendeu-se? Andrea Mansano é uma mistura de tudo isso. Não dá para separar. Por isso vamos abordar todas as facetas da executiva. “Sou um mix de coisas. Sou pacote de tudo”, disse.

A formação de todas essas nuances de Andrea Mansano começou na cidade catarinense de Joinville, onde nasceu. Filha de um engenheiro e uma socióloga, foi criada com base rígida, ancorada na religião. Aos 5 anos mudou-se com a família para os Estados Unidos. Voltou para o Brasil aos 12, quando sua vocação para os negócios começou a aflorar. Perto de sua casa, em São Paulo, havia uma gráfica. Escondida dos pais, comprou alguns cartões de Natal para vender aos vizinhos. “Comprava por R$ 1 e vendia por R$ 10. Ganhei uma bela grana”, disse. Aos 17 anos, outra empreitada certeira em vendas. Desta vez na cidade de Indaiatuba, a 100 quilômetros da capital paulista. Em visita a uma fábrica de chocolates, resolveu fazer ovos de Páscoa. Sucesso. Vendeu tanto que comprou seu primeiro carro, um Fiat 147 branco.

A vida de Mansano foi de muitas mudanças, para vários países. Nessas andanças, aprendeu quatro idiomas: português, inglês, espanhol e francês. Como formação, escolheu economia, na PUC de Campinas. Fez pós-graduação em e-business na Ohio University e na FGV. Também se especializou em tecnologia na Universidade de Michigan. Por um lado, as qualificações lhe abriram oportunidades. Por outro, viu algumas portas fechadas pelo mercado predominantemente masculino em posições de liderança. “Eu tinha pouca perspectiva, mas muita vontade de dar uma virada.”

AÇÃO SOCIAL A executiva e fundadora e mantenedora do projeto Pequenos Músicos da Liberdade, que atende criancas em situação de vulnerabildiade. (Crédito:Divulgação)

Essa virada ocorreu quando entrou na SAP, empresa alemã de softwares de gestão, em 1997. Foi a funcionária número 17 no Brasil. Permaneceu 11 anos na companhia. Com sete promoções, entrou como consultora e saiu como diretora de vendas na América Latina. Depois ainda passou pela VEX Corp e AlfaPeople antes de entrar de cabeça no setor de educação. De 2014 até o ano passado, comandou a EF Education First no Brasil e na América Latina.

Com a carreira consolidada, iniciou trabalho mais ativo nas causas que acredita. Há oito anos, fundou e mantém o projeto Pequenos Músicos da Liberdade, que oferece aulas de música, orquestra e coral para crianças em estado de vulnerabilidade social. “Tenho que devolver um pouco do que tenho para a sociedade”, afirmou Andrea Mansano. Está sendo preparado para o meio do ano uma apresentação dos pequenos com a banda The Corporates, da qual a executiva é vocalista. O grupo é formado por oito CEOs. São cerca de dez shows por ano. A arrecadação com cachê e bilheteria é voltada a projetos sociais. São músicos amadores, mas a gestão é profissional. A executiva fala de sua banda em reuniões de negócios. “Precisamos divulgar para ter patrocínios.”.

400 mulheres estão engajadas com Andrea na luta por posições de destaque nas empresas

Andrea também está engajada na luta para alçar mulheres a posições de C-Level. Há três anos criou o EVA Business Group com oito amigas. Hoje são 400. Com apoio a carreira e mentorias, “o propósito é que todas as empresas tenham pelo menos uma mulher no C-Level”. É uma iniciativa para amenizar a dor de quem por 20 anos permaneceu em posições rasas. “Não havia espaço para mulher.”

Como CEO da Emeritus, acaba de lançar no Brasil a área corporativa, chamada Emeritus Enterprise. A edtech tem parceria com mais de 50 universidades, entre elas Berkeley, Columbia, Cambridge, Harvard e MIT. “As mudanças acontecem a partir da educação e a partir de uma oportunidade”, disse ela. No País, o principal parceiro é o Insper. Nesta semana deve ser fechada mais uma parceria. Não sem antes Andrea acelerar sua moto pelas trilhas de cidades paulistas. “Para mim não existe falta de tempo.” Haja fôlego!