Giro

Queiroga recua e anuncia manutenção do intervalo de AstraZeneca em 12 semanas

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta quinta-feira, 16, o recuo da Pasta com relação ao intervalo entre a primeira e a segunda dose da vacina AstraZeneca, contra covid-19. Após reduzir o intervalo da aplicação entre as doses do imunizante de 12 para 8 semanas, o ministro informou que, devido à falta da vacina, a Pasta decidiu manter o intervalo maior, em 12 semanas.

“Nós já havíamos falado em oito semanas, porque havia previsão de mais doses da AstraZeneca” afirmou. Segundo o ministro, não há doses suficientes para encurtar o intervalo porque Estados e municípios estariam aplicando AstraZeneca de forma “inadvertida”. Esta é uma reclamação recorrente de Queiroga, que voltou a afirmar que o País tem um excesso de vacinas. “Quando digo que tem excesso, é porque estão aplicando em quem não deve”, provocou.

Queiroga justificou que a diminuição do intervalo da vacina da AstraZeneca era uma medida para lidar com o combate da variante delta no País. Apesar de afirmar que a variante preocupa, o ministro avaliou que o cepa não impactou o País como foi em outros lugares, como os Estados Unidos.



Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km