Giro

Quatro estranhos sintomas de Covid-19 que pode nunca ter ouvido falar

Crédito: Reprodução/Pixabay

Agora, as novas orientações sugerem que se deve estar atento a dores de garganta, nariz entupido e dores de cabeça. (Crédito: Reprodução/Pixabay)

Com mais de dois anos de pandemia da Covid-19, continuam a ser registados milhares de casos positivos em todo o mundo todos os dias. O aparecerimento de novas variantes fez os sintomas evoluírem igualmente.




+ 31 características de quem é de Gêmeos
+ Vídeo: Russos correm desesperados após drone ucraniano jogar bomba em trincheira
+ Astrônomos indicam que passagem estranha da Bíblia pode ser verdadeira

Segundo o NHS (National Health Service), do Reino Unido, inicialmente foram consideradas a febre, tosse e perda ou alteração do olfato ou paladar como os principais sintmas de infecção da Covid-19. Agora, as novas orientações sugerem que se deve estar atento a dores de garganta, nariz entupido e dores de cabeça. Esses são os sintomas mais comuns mas saiba que existem outros mais ‘obscuros’ – de lesões da pele a perda auditiva, são cada vez mais os dados que apontam que os sintomas da Covid vão bem para lá de uma constipação ou gripe comum.

+ Confira 10 receitas para reaproveitar ou turbinar o arroz do dia a dia


+ Brasil tem 77% da população com duas doses ou dose única contra covid

Lesões na pele


As queixas de pele relacionadas à Covid-19 não são incomuns. De fato, um estudo do Reino Unido publicado em 2021 descobriu que um em cada cinco pacientes exibiu apenas uma erupção cutânea e nenhum outro sintoma. A Covid-19 pode afetar a pele de várias formas: algumas pessoas podem apresentar uma erupção maculopapular generalizada (áreas planas ou elevadas de pele descolorida) ao passo que outras podem apresentar urticária (áreas elevadas de pele com comichão). Já a ‘Covid toes’ descreveu lesões de pele vermelhas, inchadas ou com bolhas nos dedos dos pés. Este sintoma é mais comumente visto em adolescentes ou jovens adultos com sintomas leves ou inexistentes.

A maioria das lesões cutâneas da Covid-19 tendem a desaparecer após alguns dias ou, em alguns casos, semanas depois, sem a necessidade de qualquer tratamento especializado. Se a pele apresentar muita comichão ou dor, pode consultar um médico de família ou dermatologista, que pode recomendar um tratamento.

Unhas Covid

Durante uma infecção, os nossos corpos naturalmente tentam expressar que estão sob uma quantidade incomum de stress. E podem fazer isso de várias formas estranhas, inclusive através das unhas, que podem englobar mudanças como:

Linhas de Beau – recortes horizontais que ocorrem na base das unhas das mãos ou dos pés quando há uma interrupção temporária no crescimento das unhas devido a um stress físico no corpo;

Linhas de Mees – linhas brancas horizontais que aparecem nas unhas, provavelmente causadas pela produção anormal de proteínas no leito ungueal;

Pode igualmente se desenvolver na base das unhas um padrão de meia-lua vermelho, embora o mecanismo responsável por essa mudança ainda não seja claro para os pesquisadores.

Os dados sobre quantas pessoas experimentam ‘unhas Covid’ são limitados mas estima-se que possam ser entre 1 e 2% dos pacientes. Este sintoma tende a aparecer nos dias ou semanas após uma infecção à medida que as unhas crescem. Embora possam ser dolorosos inicialmente, a grande maioria tende a voltar ao normal em apenas algumas semanas. Notavelmente, embora essas mudanças possam ser indicativas da Covid-19, também podem ser causadas por coisas diferentes. Por exemplo, as linhas de Beau podem ser secundárias à quimioterapia ou outra infecção.

Queda de cabelo

A perda de cabelo talvez seja um sintoma discreto da Covid-19, que geralmente ocorre um mês ou mais após uma infecção aguda. Num estudo com quase 6 mil participantes que estiveram infetados, a perda de cabela foi o sintoma pós-Covid mais comum, relatado em 48% dos participantes. Foi especialmente prevalecente entre pessoas com uma infecção grave e mulheres brancas.

Pensa-se que pode resultar do fato de o cabelo ‘sentir’ o stress do corpo, levando à queda. No entanto, a perda de cabelo também pode ser desencadeada por outros eventos stressantes. A boa notícia é que, com o tempo, o cabelo volta ao normal.

Perda auditiva e zumbido

Tal como acontece com outras infecções virais, como a gripe e o sarampo, a Covid-19 afeta as células do ouvido interno, com perda auditiva ou zumbido às vezes após a infecção. Num estudo, com 560 participantes, a perda auditiva ocorreu em 3,1% dos pacientes com a Covid-19, ao passo que o zumbido surgiu em 4,5%.

Num estudo com 30 pessoas a quem foi diagnosticado a Covid-19 com outras 30 que não tiveram – e nenhuma com problemas auditivos pré-existentes -, os pesquisares apontaram que a Covid tinha associados dandos no ouvido interno, o que levou à deficiência auditiva com frequências mais altas. Embora para a maioria dos pacientes o problema se resolva por si mesmo, há no entanto casos em que a perda auditiva torna-se permanente.

E quais são os motivos destes sintomas?

Ainda não se sabe exatamente o que provoca estes sintomas ‘obscuros’ mas um papel mais importante é desempenhado por um processo chamado inflamação, um mecanismo natural de defesa do nosso corpo contra patógenos, seja o SARS-CoV-2 como outros. Envolve a produção de ‘citocinas’ – proteínas que são importantes no controlo da atividade das células imunes.

A produção excessiva dessas proteínas, como parte da inflamação desencadeada pela infecção pela Covid-19, pode causar déficits sensoriais, o que potencialmente explica as razões pelas quais algumas pessoas apresentam perdas auditivas ou zumbidos. Também pode romper as redes capilares, vasos sanguíneos muito pesquenos que fornecem sangue aos órgãos, incluindo ouvidos, pelo e unhas.



Tópicos

3ª dose 4ª dose combate o quê? 4ª dose israel 4ª dose necessária 4ª dose vacinas 4ª dose variantes adolescentes e crianças covid anticorpo monoclonal anticorpos covid sintomas anticorpos infectados nova infecção astrazeneca trombose Cepa colombiana cepa colombiana é mais letal? cepa delta china aprova tratamento coronavírus alimentação coronavírus animais coronavírus estudos coronavírus soja corticoides covid covid covid anticorpos covid antiviral medicamento covid autoriza medicamento pfizer covid longa covid medicamentos covid passa para animais covid remédios covid restrições covid tratamento covid tratamentos Covid variantes efeitos permanentes europa ainda tem restrições? gorilas com covid idosos têm que tomar 3ª dose? imunizados naturais imunizados têm que usar máscaras infectados imunizados lentidão vacinação Rússia Londres flexibilização Londres retira obrigatoriedade de máscaras máscara dermatite máscara faz mal máscara respiração máscara vacina máscaras vacina OMS medicamento anticovid MSD dinamarca medicamento MSD covid nova variante china novas cepas 2022 novas variantes 2022 o que é trombose o que funciona covid pets têm covid? Pfizer Moderna BionTech astrazeneca Coronavac Janssen dose de reforço negócios pilula contra covid pode haver duas infecções diferentes posso me infectar depois de vacinado? Qual país tem mais infectados? quando vou deixar de usar máscara? quantas doses de reforço serão necessárias ainda? quantas doses já foram aplicadas? quantas variantes mundo quanto tempo duram os anticorpos quanto tempo duram os sintomas? quantos faltam vacinar? quantos vacinados tem o Brasil? que alimentos inibem o coronavírus quem deve tomar 3ª dose? rio afrouxa restrições praias rio restrições RJ restrições Rússia Rússia confinamento Rússia recorde de mortes sequelas covid sintomas estranhos super imunes covid superanticorpo superimunes covid superimunes genes transmissão adolescentes crianças tratamento anticorpos monoclonais china trombose vacina idosos vacina 3ª dose vacina duas doses protege mais que a de dose única? vacina reinfecção vacina risco de trombose vacina trombose vacinação adolescentes vacinação variantes vacinados infectados imunidade vacinas dose de reforço negócios variante Variante cama variante delta variante delta países variante delta volta Variante gama é perigosa? variante gama Manaus