Edição nº 1087 14.09 Ver ediçõs anteriores

Quatro estados a menos de Floresta

Quatro estados a menos de Floresta

Entre os anos de 1985 e 2017, o Brasil teve uma perda líquida de 71 milhões de hectares de vegetação nativa, algo equivalente às áreas somadas dos Estados de São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro e Espírito Santo. O número consta no levantamento do projeto MapBiomas, que é uma iniciativa de 34 universidades brasileiras, Organizações Não-Governamentais (ONGs) e institutos de pesquisa que têm o intuito de mapear as mudanças ocorridas na ocupação do território nacional. Os dados ainda revelam que a área destinada à agricultura avançou 190% no período, enquanto a de pecuária cresceu 43%. A Mata Atlântica, por exemplo, perdeu 5 milhões de hectares de floresta. Esse é o bioma presente em 56% da área urbana do País. A boa notícia é que as taxas de regeneração da Mata Atlântica vêm superando os índices de desmatamento na última década.

(Nota publicada na Edição 1084 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Dieta devastadora

O aquecimento global deve elevar a temperatura média da Terra em 2°C até 2100. Além de agravar eventos como secas e inundações, o [...]

Legião sedentária

Mais de 1,4 bilhão de pessoas no mundo não praticam atividades físicas regularmente. É o que revela um estudo realizado pela [...]

Ajuda sueca

O plástico tornou-se o grande vilão dos mares, rios e oceanos em todo o mundo. Não seria diferente na África. Devido ao acúmulo de lixo [...]

Mulher empreendedora

O Club Homs, em São Paulo, será a casa da sétima edição do Fórum Empreendedoras, organizado pela Rede Mulher Empreendedora, nos dias 20 [...]

Molho sustentável

Uma das paixões do casal de empresários Leticia e Peter Feddersen é a gastronomia. A outra é viajar. Em meio a uma série de viagens ao [...]
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.