Quatro curiosidades da uva Primitivo em ótimos rótulos da Puglia

Quatro curiosidades da uva Primitivo em ótimos rótulos da Puglia

Três rótulos "Grand Crus" da italiana Felline e o "anárquico", que usa 60% de uvas Negroamaro: tradição e inovação

1. O milagre de Pedro. O mundo celebra em 29 de junho o dia de São Pedro, fundador do cristianismo e primeiro papa da igreja católica. Para os moradores de Manduria, cidade da Puglia, no extremo sul da Itália, Pedro teria naufragado na costa da região, sendo salvo pelo povo de Felline no ano 45 d.C. À época, havia ali um surto de lepra. A cura do povo e de seu rei é atribuída a Pedro. Hoje, Felline dá nome a uma vinícola tão premiada quanto inovadora.

2. Os Crus da Manduria. Com uma equipe enológica comandada por Gregory Perucci, a Felline impulsionou a descoberta de variedades autóctones e foi protagonista do sucesso do Primitivo di Manduria, além der ter fixado o conceito francês de Cru na região, a partir das características de cada tipo de solo: vermelho, negro e arenoso. Cada cru dá origem a um vinho autêntico, de personalidade própria.

Da “terre rosse”, de argila com alta presença de óxido de ferro que lhe dá a cor avermelhada, vem o Archidamo, 100% Primitivo com 14% de álcool e coloração rubi. Seus taninos persistentes, mas não cansativos, pedem pratos gordos e estruturados.

Plantadas em pé franco (sem enxertia) a poucos metros do mar, as videiras de mais de 60 anos do cru Sabia Areia dão origem ao Dunico (93 pontos Vincus, R$ 508,70 no site da importadora Decanter), com teor alcóolico de 16 graus, perfume de cereja ao licor e potencial de 15 anos de guarda.



3. Primitivo ou Zinfandel? Única variedade não autóctone cultivada pela Felline em sua terra preta formada pela degradação de antigas florestas, a Zinfandel foi levada há vinte anos dos vinhedos de Geyerseville de Ridge, na Califórnia, para a Puglia. A ideia era compará-la à sua “irmã gêmea”, a uva Primitivo. Segundo Salvatore Mero, agrônomo da Felline, quando a “americana” começou a dar frutos, ninguém era capaz de notar diferenças em relação à europeia. Hoje está provado que ambas são geneticamente idênticas. Por isso a Felline produz seu Primitivo di Manduria Sinfarosa com o nome Zinfandel no rótulo (92 pontos Vincus e tre biccieri no guia Gambero Rosso). Com 15 graus, aromas de especiarias, notas mentoladas e balsâmicas, o vinho pede pratos como javali, avestruz e cordeiro.

4. Negroamaro não é uma uva amarga. E a quarta curiosidade deste texto não é exatamente sobre a Primitivo mas sobre a variedade quase tão famosa quanto ela na Puglia, em especial na região de Salento. A Negroamaro costuma ter seu nome erroneamente interpretado. A etimologia da palavra tem duas raízes: latina e grega. Ambas significam negro: níger (latim) e mavrus (grego). Sua tradução literal, portanto, seria algo como duas vezes preta. É essa uva que entra em 60% da composição do Anarkos 2018, um vinho “criado para ir contra as regras”, segundo Salvatore Mero, da Felline. As outras uvas são a Primitivo (30%) e a Malvasia Nera (10%), também escura. E qual a sugestão do enólogo para acompanhar esse rótulo anarquista? Churrasco brasileiro com farofa e vinagrete, ou pizzas em geral. Custa R$ 159,20 na Decanter.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago


Sobre o autor

Celso Masson, 53, é jornalista, diretor de núcleo da Editora Três, winemaker e palestrante de vinhos. Nos últimos dez anos, vem estudando e acompanhando a produção, os negócios e os prazeres do mundo da enologia. Se formou winemaker após integrar um exigente programa oferecido pela Escola do Vinho Miolo. Já tem três rótulos produzidos em parceria com a inovadora vinícola brasileira.


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.