Economia

Puxado por passagens aéreas, grupo Transportes sobe 1,34% no IPCA-15 de outubro

Crédito: Tania Rego/Agência Brasil

Passagens aéreas passaram por forte correção em outubro, após meses de demanda em baixa, com avanço médio de 39,90% no IPCA-15 deste mês (Crédito: Tania Rego/Agência Brasil)

Os preços das passagens aéreas passaram por forte correção em outubro, após meses de demanda em baixa, com avanço médio de 39,90% no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – 15 (IPCA-15) deste mês, como informou nesta sexta-feira, 23, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Sozinho, o item contribuiu com alta de 0,13 ponto porcentual (p.p.) no indicador agregado de outubro, que subiu 0,94%.

Desemprego é recorde e atinge 13,5 milhões de brasileiros

Google Shopping ganha ferramentas de preços para a Black Friday

Puxado pelos bilhetes de avião, o grupo Transportes registrou alta de 1,34% em outubro, com impacto positivo de 0,27 p.p. Juntos, os grupos Transportes e Alimentação e Bebidas (que avançou 2,24%, com impacto de alta de 0,45 p.p.) responderam por cerca de três quartos do avanço agregado do IPCA-15 de outubro.

Segundo o IBGE, houve altas nas passagens aéreas em todas as regiões do País pesquisadas, “variando desde os 21,66% de Porto Alegre até os 49,71% de Curitiba”.

Os preços da gasolina, que respondem ao comportamento das cotações do petróleo e do câmbio, conforme a política de preços ditada pela Petrobras, tiveram alta média de 0,85% no IPCA-15 de outubro. Ainda que a variação tenha arrefecido em relação a setembro (3,19%), a gasolina contribuiu positivamente com 0,04 p.p. no índice agregado. Foi a quarta alta seguida do item no IPCA-15, informou o IBGE.

Ainda no grupo dos Transportes, o IBGE destacou a alta nos preços do seguro voluntário de veículo (2,46%), no primeiro avanço após sete meses consecutivos de quedas. Os únicos subitens do grupo com variações negativas foram ônibus interestadual (-2,73%) e gás veicular (-1,36%).

O grupo Artigos de residência subiu 1,41%, acelerando em relação a setembro (0,79%). Todos os itens do grupo tiveram alta, segundo o IBGE, “com destaque para mobiliário (1,75%), que havia recuado (-0,14%) no mês anterior, e TV, som e informática (1,68%)”.

No total, dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados, oito tiveram alta no IPCA-15 de outubro. Em setembro, três grupos (Vestuário, Saúde e Cuidados Pessoais e Educação) haviam registrado deflação. Na leitura deste mês, apenas Educação teve ligeira variação negativa, com queda de 0,02%.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?