Giro

Prostituta processa o estado por perder clientes durante a quarentena

Crédito: Reprodução/Twitter

Ela alega que as trabalhadoras do sexo sofreram dificuldades financeiras devido aos fechamentos em Nevada, o único estado onde a prostituição é legal. (Crédito: Reprodução/Twitter)

Alice Little, a mulher que se autodenomina como a “trabalhadora do sexo mais bem paga dos Estados Unidos”, está processando o estado de Nevada em uma tentativa de forçar a reabertura de bordéis em meio à pandemia de Covid-19.

O processo de Little vem depois que o governador do estado, Steve Sisolak, excluiu os bordeis dos estabelecimentos que pudessem voltar a reabrir.

+ Chile retornará com a quarentena após explosão em casos de Covid-19
+ Autoridades americanas recomendam redução da quarentena para quem tiver contato com casos positivos de Covid-19

Na liminar apresentada em 30 de outubro, a prostituta alega que as trabalhadoras do sexo sofreram dificuldades financeiras devido aos fechamentos em Nevada, que é atualmente o único estado onde a prostituição é legal.



“O governador de Nevada injustamente manteve os bordéis legais fechados, permitindo que outras empresas de alto contato, como casas de massagem, spas e salões de beleza, reabrissem”, escreveu Little em uma página ‘vaquinha online’ com o objetivo de arrecadar US$ 50.000 para o processo.

Mas acabar com a proibição das prostitutas não parece ser uma prioridade para Sisolak em meio à pandemia.

“Certamente teremos que ver as crianças de volta nas escolas antes de ver as pessoas de volta nos bordéis”, disse ele ao Nevada Independent poucos dias antes do processo de Little. “Vamos abordar isso algum dia, certamente, mas não é no futuro imediato.”lice Little, a mulher que se autodenomina como a “trabalhadora do sexo mais bem paga dos Estados Unidos”, está processando o estado de Nevada em uma tentativa de forçar a reabertura de bordéis em meio à pandemia de Covid-19.

O processo de Little vem depois que o governador do estado, Steve Sisolak, excluiu os bordeis dos estabelecimentos que pudessem voltar a reabrir.

Na liminar apresentada em 30 de outubro, a prostituta alega que as trabalhadoras do sexo sofreram dificuldades financeiras devido aos fechamentos em Nevada, que é atualmente o único estado onde a prostituição é legal.

“O governador de Nevada injustamente manteve os bordéis legais fechados, permitindo que outras empresas de alto contato, como casas de massagem, spas e salões de beleza, reabrissem”, escreveu Little em uma página ‘vaquinha online’ com o objetivo de arrecadar US$ 50.000 para o processo.

Mas acabar com a proibição das prostitutas não parece ser uma prioridade para Sisolak em meio à pandemia.

“Certamente teremos que ver as crianças de volta nas escolas antes de ver as pessoas de volta nos bordéis”, disse ele ao Nevada Independent poucos dias antes do processo de Little. “Vamos abordar isso algum dia, certamente, mas não é no futuro imediato.”

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel