Giro

Promotoria da Justiça Militar pede informações sobre participação de PMs em atos do 7 de setembro

Crédito: REUTERS/Amanda Perobelli

Policiais militares atuam durante protesto em São Paulo (Crédito: REUTERS/Amanda Perobelli)

Por Anthony Boadle e Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) – O promotor Flávio Milhomen, da 3ª Promotoria de Justiça Militar, pediu nesta terça-feira à Polícia Militar do Distrito Federal que repasse ao órgão informações de inteligência sobre atos de indisciplina e contra o regime democrático entre policiais militares da ativa e da reserva, depois que foram divulgadas na mídia ações em grupos de PMs com ameaças à democracia.

No ofício, endereçado ao comandante-geral da Policia Militar do DF, Márcio Vasconcelos, Milhomem relata casos divulgados pela imprensa de grupos de PMs do Rio de Janeiro e de São Paulo que se organizam para participar da manifestação de 7 de setembro organizada por grupos bolsonaristas.

“Segundo a apuração jornalística, praças e oficiais da ativa e da reserva falam em ‘exigir’ o poder, luta contra o comunismo e retirada dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal)”, diz o ofício do promotor.



+ 5 coisas que você precisa saber antes de viajar no feriado de 7 de setembro

Milhomem cita ainda um vídeo que circula das redes sociais do coronel reformado do Corpo de Bombeiros Davi Azim, do Ceará, convocando apoiadores para “adentrar ao STF e ao Congresso” no dia 7 de setembro, e o caso do afastamento do o chefe do Comando de Policiamento do Interior-7 (CPI-7)de São Paulo, coronel Aleksander Lacerda, pelo governador João Doria (PSDB).

Em suas redes sociais, Lacerda chamava para as manifestações em meio a críticas pesadas a Doria, parlamentares e ao STF.

“Em face dos fatos narrados nos referidos órgãos de imprensa, o Ministério Público requisita informações quanto às medidas que serão adotadas relativas ao policiamento da Praça dos Três Poderes e, em especial, do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal, no feriado de 7 de setembro de 2021”, diz o ofício.

A participação de PMs nos atos bolsonaristas acenderam o alerta entre governadores. As manifestações, que começaram como atos pelo voto impresso, descambaram, nas redes sociais, para ataques diretos ao STF, com ameaças de invasão da corte e também do Congresso, propostas de parar o país até que ministros sejam afastados da corte e pedidos de intervenção militar e golpe.

O tema foi parte das discussões dos governadores em uma reunião de segunda-feira, sob o temor de que as PMs possam acabar como massa armada do bolsonarismo para uma tentativa de ruptura institucional.

“Com efeito, faz-se mister reafirmar o compromisso dos governadores no sentido de zelar para que a missão das policias estaduais ocorra nos limites constitucionais e da lei, como se tem verificado na história do país desde a promulgação da Constituição de 1988”, diz a ata da reunião divulgada nesta terça-feira.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH7N12O-BASEIMAGE

Veja também
+ Como podcasts podem ajudar na educação financeira do brasileiro
+ Mistério: mulher descobre que não é a mãe biológica de seus próprios filhos
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km

Tópicos

7 de setembro 7 de setembro 2021 caminhoneiros 7 de setembro 2021 dia da semana 7 de setembro 2021 é feriado 7 de setembro 2021 o brasil vai parar 7 de setembro calendario 2021 ação no senado Alexandre de Moraes ameaças Arthur Lira atos Bolsa Família Bolsnaro Bolsonaro Bolsonaro cometeu crime? bolsonaro coronavírus bolsonaro covid Bolsonaro Declarações Falsas bolsonaro desmandos economia Bolsonaro fakenews bolsonaro foi preso? bolsonaro guedes voz economia bolsonaro hoje Bolsonaro STF bolsonaro twitter bolsonaro veta fundo eleitoral Câmara dos Deputados Carlos Bolsonaro Charlatanismo coligações Comando de Policiamento do Interior-7 Como está a praia no feriado? confederações partidárias Congresso Nacional CPI da Covid cpi da covid ao vivo cpi da covid ao vivo agora cpi da covid ao vivo hoje cpi da covid ao vivo youtube CPI da Covid hoje cpi da covid programação cvc 7 de setembro dados declaração de Bolsonaro hoje declarações falsas bolsonaro Democracia depoimento de Bolsonaro fake news feriado 09/07 foi antecipado em 2021 feriado 7 de setembro foi antecipado 2021 feriado 9 de julho 2021 antecipado feriado de 7 de setembro foi antecipado em sp 2021 Feriado de 7/9 feriados antecipados 2021 governador joão doria governadores imposto de renda indiciamento investigação IR Jair Bolsonaro Jair Bolsonaro filhos jair bolsonaro idade Jair Bolsonaro partido Jair Bolsonaro religião Lei de Acesso à Informação lei de segurança nacional live bolsonaro live de bolsonaro hoje ao vivo lockdown LSN Luís Roberto Barroso maior motociata do brasil manifestação manifestação 7 de setembro 2021 manifestações 7 de setembro 2021 Michelle Bolsonaro ministros do stf O que fazer em Brasília no dia 07 de setembro? O que funciona no feriado em SP? o que vai acontecer dia 7 de setembro de 2021 onde ir no feriado 7 de setembro 2020 Onde viajar em setembro 2021? pacote de viagem feriado 7 de setembro pacote feriado 7 de setembro 2020 pacote feriado 7 de setembro 2021 pacotes 7 de setembro 2021 pandemia covid-19 para onde viajar em setembro 2020 para onde viajar em setembro no brasil Pode ficar na areia da praia SP? Polícia Militar do Distrito Federal Promotoria de Justiça Militar Quais as melhores praias para ir em setembro? quais feriados foram antecipados 2021 quais feriados foram antecipados são paulo 2021 qual feriado foi antecipado em são paulo Qual melhor lugar para se viajar em setembro? qual praia de São Paulo está liberada? reforma eleitoral reforma política reforma tributária Renan Calheiros Roberto Jefferson Rodrigo Pacheco Senado Federal STF Supremo Tribunal Federal vazamento voto impresso