Programa ajuda indígenas com deficiência visual

Programa ajuda indígenas com deficiência visual

A Fundação L’Occitane está ajudando indígenas brasileiros por meio do Amazonian Cataract Project, da Associação Médicos da Floresta. O programa oferece serviços de oftalmologia a moradores de tribos localizadas em lugares remotos da Amazônia, onde não há acesso à saúde. Por meio dessa iniciativa, autoridades locais de saúde começaram a receber, este mês, treinamento para a detecção precoce da deficiência visual e da cegueira. No Natal passado, o lucro da venda de um kit de produtos chamado “Presente Solidário” foi doado integralmente para a realização de cirurgias, tratamentos e doação de óculos para pacientes com deficiência visual.

(Nota publicada na edição 1154 da Revista Dinheiro)


Mais posts

Cerveja com menos impacto ambiental

Pesquisa realizada pela Union+Webster indica que 87% dos brasileiros preferem comprar produtos e serviços de empresas sustentáveis. De [...]

A culpa não é só das chuvas

O caos gerado pelas chuvas nas grandes cidades brasileiras, como as que deixaram debaixo d’água Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São [...]

Fundo para energia fotovoltaica

A Empírica Investimentos lançou um fundo em direitos creditórios (FIDC) voltado para o mercado de energia solar do Brasil. Em parceria [...]

Meta traçada até 2031

A Fujifilm Holdings Corporation entrou para a lista de organizações da Lista A de Mudanças Climáticas, da CDP, organização sem fins [...]

Honda aproveita a força dos ventos

Não basta que um veículo automotor funcione de forma sustentável. É importante que sua fabricação também seja. Esse é o caminho adotado [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.