Economia

Produção de petróleo e gás natural atinge 3,346 mi boe/d em julho, diz ANP

A produção de petróleo e gás natural no País atingiu 3,346 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d) em julho, informou nesta segunda-feira, 4, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A produção de petróleo, isoladamente, totalizou 2,623 milhões de barris por dia (bpd), uma queda de 1,9% ante junho e crescimento de 1,5% comparado a igual mês de 2016.

“A redução em relação a junho se deve, principalmente, à parada programada da plataforma P-58, que opera na área denominada “Parque das Baleias” (áreas de desenvolvimento de Jubarte, Baleia Azul, Baleia Franca e Baleia Anã)”, informou a ANP.

Já a produção de gás natural no Brasil ficou em 115 milhões de metros cúbicos por dia (m3/d), alta de 3,5% ante o mês anterior e de 7,3% em relação a julho do ano passado. Do total produzido, 96,3% foram aproveitados. Foram queimados 4,2 milhões de m3/d, retração de 6,3% comparado ao mês anterior e de 3,5% em relação ao mesmo mês em 2016.

No pré-sal, a produção também caiu. Foram extraídos 1,613 milhão de boe/d, queda de 4,3% ante junho. Na região, a produção de petróleo fechou em 1,293 milhão de bpd e a de gás, de 51 milhões de m3/d.

O campo de Lula, na Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás natural. Produziu, em média, 789 mil bbl/d de petróleo e 34,2 milhões de m3/d de gás natural.

+ Jaguar Land Rover: a luta contra a falta de confiança dos consumidores

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel