Giro

Príncipe Philip é transferido de hospital para exames cardíacos

Príncipe Philip é transferido de hospital para exames cardíacos

O príncipe Philip, em 22 de julho de 2020, no castelo de Windsor - POOL/AFP/Arquivos

O príncipe Philip, de 99 anos, marido da rainha Elizabeth II, deixou nesta segunda-feira (1) o Hospital King Edward VII de Londres, onde recebia tratamento há quase duas semanas, para se submeter a exames cardíacos em outro centro médico da capital, informou a casa real.

O duque de Edimburgo foi internado em 16 de fevereiro como “medida de precaução” depois de se sentir mal.

Diante das especulações devido à idade avançada do príncipe, que em junho deve celebrar seus 100 anos de idade, alguns dias depois o Palácio de Buckingham informou que a hospitalização não estava relacionada à covid-19, mas sim a uma infecção.

Nesta segunda-feira pela manhã uma ambulância saiu do hospital King Edward VII, escondendo o paciente das inúmeras câmeras de fotógrafos e televisão que aguardavam na entrada do hospital.

“O duque de Edimburgo foi transferido hoje do Hospital King Edward VII para o Hospital St Bartholomew, onde os médicos continuarão a tratá-lo de uma infecção, além de realizar testes e observações para problemas cardíacos pré-existentes”, informou o Palácio de Buckingham em um comunicado.

“O duque está bem e respondendo ao tratamento, mas deverá permanecer no hospital pelo menos até o final da semana”, acrescentou.

Seu filho, o príncipe Charles, herdeiro do trono, o visitou no hospital no primeiro fim de semana após sua internação.

E seu neto William garantiu na semana passada que o duque de Edimburgo estava bem e que os médicos estavam “zelando por ele”.

Em 2009, Philip quebrou o recorde de longevidade para todas os cônjuges de monarcas britânicos.

Tendo participado de mais de 22.000 compromissos públicos oficiais desde a ascensão de sua esposa ao trono em 1952, o duque se aposentou da vida pública em agosto de 2017.

Desde então, foi hospitalizado várias vezes, a última, em dezembro de 2019, por “problemas de saúde pré-existentes”.

Em janeiro de 2019, ele se envolveu em um acidente de carro quando o Land Rover que conduzia colidiu com outro veículo ao sair de uma estrada perto de Sandringham.

Philip saiu ileso, mas foi forçado a parar de dirigir.

Devido à pandemia do coronavírus, ele passou o último ano confinado no Palácio de Windsor com a rainha, exceto por uma estadia de verão em seu castelo escocês de Balmoral.

Philip nasceu em Corfu em 10 de junho de 1921, com os títulos de príncipe da Grécia e Dinamarca. Quando tinha 18 meses, seu tio rei da Grécia foi obrigado a abdicar, e seu pai foi exilado do país após a guerra greco-turca. Junto aos seus pais e suas quatro irmãs, Philip fugiu a bordo de um navio do Exército britâncio.

Após estudar em um internato na Escócia, em 1939 entrou no Royal Naval College de Dartmouth, no sul da Inglaterra. Foi nessa época que conheceu a então princesa Elizabeth, com quem tem quatro filhos: Charles, Anne, Andrew e Edward.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel