Giro

Primeira amostra de Marte da NASA parece ter se desintegrado em pedaços

Crédito: Reprodução/NASA

Sem sucesso, o rover está caminhando para o sul, rumo ao próximo alvo de amostra, onde os profissionais planejam perfurar a superfície em setembro. (Crédito: Reprodução/NASA)

Todo mundo sabe que a NASA realiza expedições bem-sucedidas sobre o planeta vermelho, mas a sua primeira amostra de Marte parece ter se desintegrado em pedaços. A amostra parece ter desaparecido do rover Perseverance.

Sem sucesso, o rover está caminhando para o sul, rumo ao próximo alvo de amostra, onde os profissionais planejam perfurar a superfície em setembro. Nas primeiras etapas do procedimento para colher uma amostra de Marte, tudo funcionava perfeitamente bem e progredia sem problemas. O rover realizou cada ciclo de maneira correta: perfurou o solo, fechou o tubo com um selo hermético e depois o depositou em um módulo na própria ‘barriga’, em 6 de agosto.

+ NASA está procurando voluntários para exercícios de condições em Marte

“O sistema em si operou muito bem”, explica Jennifer Trosper, gerente de projeto do ‘Perseverance Mission’. Entretanto, enquanto os cientistas examinavam os dados, perceberam que o tubo já estava vazio, o que causou grande surpresa e levantou diversos questionamentos.



Esta missão, infelizmente fracassada, se junta a várias outras anteriores, onde lutaram muito para coletar uma amostra de Marte. “Isso é meio que normal quando se trata de missões no planeta vermelho”, diz Trosper. Além disso, ela afirma que “mais uma vez, Marte nos mostra que não é a Terra”, ou seja, cada planeta possui suas próprias particularidades.

Nosso vizinho é um deserto gélido, mas com sinais evidentes de abundância de água. Perseverance pousou no território dos marcianos em fevereiro deste ano, para procurar pistas sobre a vida antiga em uma cratera de 45 quilômetros de largura. A grande expectativa era que a sonda coletasse uma amostra de Marte bem ‘potente’, para que cientistas pudessem estudar mais a fundo.

O processo para recolher esse pedaço de superfície se dividiu em uma série de eventos “coreografados e coordenados’, com um total de 11 dias de duração. Em cinco de agosto, o Perseverance realizou sua primeira tentativa, e quando os profissionais observaram no dia seguinte, ele havia conseguido perfurar o solo.

Mais tarde, por volta das 08h30, o tubo selado estava dentro do veículo espacial, mas os cientistas começaram a olhar o restante dos dados. Antes do tubo com a amostra de Marte ser selado, um braço dentro do rover o empurrou para cima em um sensor para medir o volume do material – não revelando nada dentro. “Começamos a coçar a cabeça”, diz Trosper.

“O hardware funcionou como comandado, mas a rocha não cooperou desta vez”, escreve Louise Jandura, engenheira-chefe da NASA para amostragem e armazenamento em cache do Perseverance, em nota sobre a missão.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km