Economia

Previ venderá participações para reaplicar em outras empresas, diz presidente

A Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, reduzirá de forma sutil a participação de sua carteira em renda variável, sem movimento brusco, disse nesta segunda-feira, 1, o presidente da fundação, José Maurício Coelho. O executivo participa nesta manhã da cerimônia da estreia da Neoenergia na B3, uma das empresas investidas da Previ.

Sua estratégia será a de desinvestimento líquido, ou seja, o total desinvestido será superior ao investido pela Previ. A fundação, ao mesmo tempo que tem vendido algumas de suas participações – vendeu uma fatia de Neoenergia no IPO, por exemplo -, tem ingressado em outras companhias, como fez mais recentemente em B3 e BR Distribuidora, comentou.

“Deveremos participar ainda dos IPOs previstos”, comentou. O tíquete de entrada, no entanto, será menor, disse. A ideia é ter no máximo 10% da empresa investida, sem participação no bloco de controle. O interesse da Previ é ter investimentos em empresas líquidas, ou seja, listadas em bolsa, o que na visão da fundação facilita a venda de ações detidas depois.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?