Presidentes de grandes empresas se reúnem para tratar da inclusão de negros em altos cargos

Presidentes de grandes empresas se reúnem para tratar da inclusão de negros em altos cargos

Dia 24 de outubro de 2017, será realizado um encontro inédito na cidade de São Paulo, um encontro que reunirá CEOs e experts em igualdade de raça e gênero para ampliar significativamente a inclusão e ascensão econômica de mulheres e homens negros no setor privado. O encontro produzirá ações catalizadoras denominado “Brasil Diverso – Todos pela inclusão”, previsto para o primeiro semestre de 2018, e a plataforma Brasil Diverso, que conterá informações para empresas que busquem desenvolver ações afirmativas.

A primeira reunião do Brasil Diverso contará com líderes empresariais como Theo van der Loo, CEO da Bayer, Luíza Helena Trajano, presidente do Magazine Luíza, e Rachel Maia, CEO da Pandora, entre outros, além de especialistas em igualdade racial e de gênero como Denise Hirao, especialista em direitos das mulheres. Há décadas debato este tema e hoje ocupando o cargo de diretor-executivo da Revista Raça e colunista da IstoÉ Dinheiro, estarei coordenando o encontro.

Serão discutidos potenciais caminhos para acelerar as ações voltadas para a diversidade e a igualdade nas empresas e para aproximar a população negra das empresas interessadas em trabalhar a diversidade no seus quadros funcionais.

Promover um encontro para debater a igualdade de oportunidades profissionais, neste momento turbulento para o Brasil, é um passo fundamental para não perdermos o progresso que tivemos em anos recentes. Para além de uma pauta de justiça e direitos humanos, a igualdade racial também diz respeito à necessidade das empresas de se sintonizarem com seus diversos públicos – trabalhadores, consumidores, acionistas, etc. Tenho ressaltado isso em todos os espaços por onde tenho palestrado como o fiz recentemente Fórum CEO Brasil do Experience Club na praia do Fort para mais de 100 CEOs de todo o Brasil.

Segundo o IBGE, os negros são hoje mais de 54% de toda a população brasileira. No entanto, apesar de serem maioria, eles não conseguem chegar aos cargos de comando. Isso não acontece por acidente, é o resultado de uma determinação histórica e social cruel, mas que pode ser revertida.

A desigualdade racial não será resolvida se fingirmos que ela não existe, e tende a impactar ainda mais negativamente a população negra em tempos de crise. Faz-se necessário, portanto, uma atuação proativa, a partir de uma visão de igualdade e direitos humanos”.

O Brasil Diverso originou-se da convergência de atores do mundo empresarial e público em torno do tema da equidade racial no setor privado. Essa convergência ocorreu nas três edições do Fórum São Paulo Diverso, promovido pela Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial da Prefeitura de São Paulo e pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) entre 2014 e 2016, período em que eu ocupava o cargo de Secretario de Promoção da Igualdade Racial da Cidade de São Paulo.

O São Paulo Diverso é considerado um marco para o tema da equidade racial no setor privado por ter atraído grandes lideranças do mundo empresarial, incluindo diversos CEOs, além de autoridades públicas brasileiras e internacionais. O São Paulo Diverso também ampliou significativamente a cobertura da mídia sobre o tema e trouxe visibilidade para as iniciativas já existentes. Além disso, congregou atores interessados no tema, ajudando a criar colaborações, novas iniciativas e intercâmbio de informações.

Por entender que a iniciativa iniciada no São Paulo Diverso deveria continuar e ser ampliada para o âmbito nacional, alguns desses stakeholders uniram-se para formar o Conselho Brasil Diverso, órgão de governança desta iniciativa.

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Sobre o autor

O blog Diversidade Corporativa, de Mauricio Pestana, ex-secretário de Igualdade Racial do município de São Paulo, é um espaço destinado à reflexão e ao debate sobre o panorama da diversidade racial e de gênero no mundo empresarial. Traz temas relacionados a políticas afirmativas e inclusão social e apresenta soluções para fomentar o desenvolvimento socioeconômico da população historicamente excluída da economia e ambiente corporativo no Brasil


Mais posts

E sua empresa, quanto já gastou na luta antirracista?

Maio entrará para a história como mês em que palavras como racismo, inclusão, exclusão, diversidade e justiça foram mencionadas mundo [...]

A semana do 13 de maio

O artigo desta semana poderia começar como venho fazendo há mais de três anos nesta coluna, dando os números estarrecedores sobre as [...]

Coronavírus e a questão racial

Procuro sempre achar algo de positivo, mesmo diante das piores situações. Acredito que as crises sempre deixam um legado, seja no [...]

O maior evento sobre diversidade e inclusão realizado no Brasil

Em um ano em que a economia encolheu e os investimentos em quaisquer áreas minguaram, o Fórum Brasil Diverso se consolida como o maior [...]

Diversidade, na era das máquinas

Não é preciso ser estudioso do assunto para saber que a exclusão provocada por essa crise tem um foco preciso que é a cor, sexo e [...]
Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.