TV DINHEIRO

“Não dá mais para ter um Estado inchado e com pessoas que dependem dele para sobreviver”, diz presidente da Smiles

No programa MOEDA FORTE desta semana, Carlos Sambrana, redator-chefe da ISTOÉ DINHEIRO, recebe Leonel Andrade, presidente da Smiles, empresa com quase 13 milhões de clientes. O executivo fala sobre o modelo de negócios que mantém os programas de fidelidade e conta como a companhia se tornou uma das mais lucrativas do mercado.

Neste quinto bloco (acima), o executivo comenta os impactos da crise econômica e política. Andrade afirma que durante uma recessão as pessoas prestam muito mais atenção nas oportunidades. “A crise fez com que as pessoas aproveitassem mais os programas de fidelidade”, diz. Na avaliação do executivo, o ano de 2018 será de muita volatilidade e incertezas, mas os brasileiros têm condições de mudar o País. “Não dá mais para ter um Estado inchado e com pessoas que dependem dele para sobreviver”, destaca.

BLOCO 4

Andrade analisa o bom desempenho da empresa na bolsa de valores. “A Smiles abriu capital com valor de mercado de R$ 2,6 bilhões. Hoje, vale perto de R$ 10 bilhões”, afirma. O IPO da Smiles ocorreu em abril de 2013 e, de acordo com Andrade, a companhia é um dos melhores investimentos com retorno para os acionistas do Brasil. “O que faz a empresa ter valor na bolsa é a consistência de resultados com perspectivas futuras otimistas”, diz.

BLOCO 3

O executivo fala sobre inovação. Segundo ele, o mantra da companhia é ter uma novidade a cada três meses. “Temos um comitê de inovação dedicado exclusivamente a essa área”, conta. Os investimentos da empresa em novos produtos, como o Clube Smiles, atraem a atenção do mercado e recentemente a transformaram em objeto de estudo de uma grande universidade americana. “Criamos o Clube Smiles e ele foi copiado por todos os concorrentes”, afirma.

BLOCO 2

O executivo aborda o resgate de pontos. No ano passado, a Smiles lançou o programa Viaja Fácil, que permite resgatar passagens aéreas sem milhas na conta e apresenta um prazo maior para pagar. Além disso, segundo Andrade, os 9 milhões de voos disponíveis para os clientes da empresa estão integrados em um aplicativo. “Nosso cliente pode emitir a passagem enquanto está indo para o aeroporto”, afirma. Pensando em oferecer mais opções para resgate e acúmulo de pontos, a Smiles fechou parceria com o Uber. “Nosso cliente vai usar milhas para pagar o Uber ou receber pontos quando pagar com dinheiro”, diz.

BLOCO 1

Andrade destaca por que a Smiles está concentrada em turismo e entretenimento. Segundo ele, a empresa emite passagens para 14 companhias aéreas de todos os lugares do mundo e, apenas no ano passado, emitiu 5 milhões de bilhetes. “Somos a maior emissora de passagens áreas do Brasil”, diz. “Temos cerca de 6 bilhões de milhas resgatadas por mês”, completa.