Ciência

Presidente adverte que mais 35 milhões de iranianos poderão ser infectados por coronavírus

Presidente adverte que mais 35 milhões de iranianos poderão ser infectados por coronavírus

Mulher usa máscara de proteção contra o novo coronavírus em Teerã - AFP

O presidente do Irã, Hasan Rouhani, advertiu neste sábado que 35 milhões de iranianos poderão ser infectados pelo novo coronavírus, uma vez que o país não conseguiu a imunidade de grupo, apesar de que um quarto da população já pode ter sido infectada.

Esta é a primeira vez que um dirigente iraniano parece indicar que o país busca derrotar a Covid-19 através da imunidade de grupo. “Estimamos que 25 milhões de iranianos já tenham sido infectados por este vírus”, indicou Rouhani durante reunião televisionada com autoridades da luta contra o novo coronavírus.

“Temos que considerar a possibilidade de que de 30 a 35 milhões mais possam ter a doença”, disse o presidente, citando resultados de um estudo feito pelo Ministério da Saúde. “Ainda não conseguimos a imunidade e não nos resta outra opção, a não ser permanecermos unidos e quebrarmos a cadeia de transmissão do vírus.”

Um porta-voz de Rouhani explicou no Twitter que, ao falar em 25 milhões de pessoas, o presidente se referia àquelas “que contraíram o vírus e desenvolveram imunidade”.



O Irã, que enfrenta um novo surto da doença, registrou nas últimas 24 horas 188 novas mortes e 2.166 novos casos, informou hoje o Ministério da Saúde do país, que contabiliza 13.979 mortos e 271.606 casos da doença.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel