Giro

Prepare o bolso: IPVA terá aumento expressivo em 2022

Crédito: Arquivo/Agência Brasil

Os proprietários de veículos vão ter que se preocupar com o valor do IPVA no próximo ano, que segundo estimativas deve aumentar em torno de 30% (Crédito: Arquivo/Agência Brasil)

Não é apenas o aumento expressivo do combustível que vai doer no bolso dos motoristas. Os proprietários de veículos vão ter que se preocupar com o valor do IPVA no próximo ano, que segundo estimativas deve subir mais de 30% em janeiro na comparação este ano.



As alíquotas estaduais não terão nenhuma alteração na cobrança do imposto. O aumento acontece porque o calculo do IPVA 2022 é feito com base no preço que o modelo registrou no mês de setembro de 2021, ou seja, se aumenta o valor do carro, consequentemente, aumentará o valor do imposto em questão.

+ Leilão de 256 veículos tem Audi A5 como destaque, pregão encerra nesta sexta (15)
+ Declarações do Imposto de Renda na malha fina chegam a 869,3 mil; Consulte
+ Impostômetro chega à marca de R$ 2 trilhões, informa associação de SP

Como calcular seu IPVA

Se você quer saber quanto terá que desembolsar no próximo ano, basta verificar o valor da Tabela Fipe, somar à alíquota aplicada no seu estado e dividir por 100. Por exemplo:

Um veículo que possua o valor de R$ 30 mil e tenha alíquota de 4% no caso de modelos flex em São Paulo, a fórmula será a seguinte:



30 mil x 4 = 12 mil / 100 ­= R$ 1.200

Dessa forma, o valor do IPVA será de R$ 1.200 no ano de 2022.

Confira a seguir as porcentagens cobradas em todas as unidades federativas do país:

Estados Porcentagem
São Paulo 4%
Rio de Janeiro 4%
Minas Gerais 4%
Goiás 3,75%
Distrito Federal 3,5%
Mato Grosso do Sul 3,5%
Paraná 3,5%
Alagoas 3%
Amazonas 3%
Amapá 3%
Pernambuco 3%
Rio Grande do Norte 3%
Rio Grande do Sul 3%
Roraima 3%
Bahia 2,5%
Ceará 2,5%
Maranhão 2,5%
Pará 2,5%
Paraíba 2,5%
Piauí 2,5%
Sergipe 2,5%
Acre 2%
Espírito Santo 2%
Mato Grosso 2%
Rondônia 2%
Santa Catarina 2%
Tocantins 2%

O aumento nos preços dos carros novos e usados tem como motivos a redução dos estoques de componentes necessários para sua produção, o aumento no custo da matéria-prima e a alta no custos com transportes. Ao lado da queda na demanda, esses fatores impulsionaram os preços.


Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?