Mundo

Premier tcheco supera moção de censura

Premier tcheco supera moção de censura

O premier tcheco, Andrej Babis, em 25 de abril de 2019 em Bratislava. - AFP/Arquivos

O primeiro-ministro tcheco, o magnata Andrej Babis, superou uma moção de censura nesta quinta-feira, em meio a acusações de fraude e de conflito de interesses, e diante de enormes manifestações exigindo sua demissão.

A oposição não conseguiu os 101 votos necessários no Parlamento de 200 cadeiras para derrubar o governo.

Jana Cernochova, deputada encarregada da votação após 17 horas de debates, informou que 85 deputados votaram contra o governo e outros 85, a favor.

Os demais 30 deputados não compareceram ou se abstiveram.

O movimento ANO, de Babis, lidera uma coalizão em minoria com o partido social democrata CSSD, contando com o apoio informal dos comunistas.

Durante a votação desta quinta-feira, o CSSD apoiou o governo e os comunistas se abstiveram.

Babis, 64 anos, segunda maior fortuna do país e fundador do gigante agroalimentar Agrofert, foi investigado no ano passado em um caso de suposto desvio de 2 milhões de euros de fundos europeus. Ele também estaria envolvido em uma situação de conflito de interesse entre suas atividades políticas e seus negócios, segundo trechos de uma auditoria da Comissão Europeia publicados pela imprensa local.

Na quarta-feira, Babis negou qualquer tipo de crime e afirmou que a auditoria da União Europeia tem enormes “erros”.

“Este voto não diz respeito ao meu governo, e sim a mim. Não entendo, isto é uma tentativa de desestabilizar nosso país, vai contra os interesses dos nossos cidadãos”.

Babis também é criticado por sua filiação ao Partido Comunista antes de 1989 e sua suposta colaboração com a polícia secreta do antigo regime.