Giro

Preços dos imóveis aumentam em média 0,45% em novembro, segundo Fipezap

Crédito: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

O indicador monitora o preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades (Crédito: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo)

Os preços dos imóveis residenciais no País registraram alta de 0,45% em novembro ante outubro. Os dados fazem parte do Índice FipeZAP de Venda Residencial, divulgado nesta quinta-feira (03) pela Fipe e o ZAP+. O indicador monitora a variação do preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades.

A variação mensal do índice foi inferior à inflação esperada para o mês, de 0,62% (IPCA/IBGE), segundo expectativa publicada no último Boletim Focus do Banco Central do Brasil. A previsão é que o preço médio de venda de imóveis residenciais encerrará o mês de dezembro com queda de 0,17%, em termos reais.

+ Venda de imóveis novos na capital paulista tem alta de 38% em outubro
+ Vendas pendentes de imóveis caem 1,1% em outubro ante setembro

No acumulado do ano, o Índice FipeZap registrou uma alta nominal de 3,21%, ante variação de 2,85% esperada para o IPCA/IBGE nesse período.



As capitais que apresentaram o maior crescimento no ano, até novembro, foram: Brasília (9,16%), Curitiba (7,47%) e Manaus (5,95%). São Paulo e Rio de Janeiro tiveram altas acumuladas de 3,40% e 1,30%, respectivamente.

O preço médio calculado na venda residencial foi de R$ 7.455/m² – tendo como base a amostra de imóveis residenciais anunciados para venda em novembro de 2020.

Dentre as capitais monitoradas pelo Índice FipeZap, Rio de Janeiro apresentou o preço de venda mais alto (R$ 9.409/m²), seguida por São Paulo (R$ 9.294/m²) e Brasília (R$ 7.988/m²). Entre as capitais monitoradas com menor valor médio de venda residencial por m² no mês, estão: Campo Grande (R$ 4.339/m²), Goiânia (R$ 4.446/m²) e João Pessoa (R$ 4.473/m²).

  • Brasília: + 9,16%
  • Curitiba: + 7,47%
  • Manaus: + 5,95%
  • Maceió: + 5,94%
  • Florianópolis: + 5,94%
  • Vitória: + 5,71%
  • Campo Grande: + 5%
  • Belo Horizonte: + 4,23%
  • Goiânia: + 3,93%
  • São Paulo: + 3,40%
  • João Pessoa: + 3,32%
  • Salvador: + 3,23%
  • Porto Alegre: + 1,77%
  • Fortaleza: + 1,61%
  • Rio de Janeiro: + 1,30%
  • Recife: – 0,96%

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km