Agronegócio

Preços do óleo de soja avançam a recorde em Chicago; milho toca máxima desde 2012

Preços do óleo de soja avançam a recorde em Chicago; milho toca máxima desde 2012

Produção de soja



Por Mark Weinraub

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros de óleo de soja nos Estados Unidos atingiram um recorde nesta quarta-feira, depois que a Indonésia ampliou sua proibição de exportação de matérias-primas para óleo de cozinha para combater a inflação de alimentos, disseram traders.

“A medida aperta drasticamente uma oferta global já apertada de óleos vegetais que viu os preços globais subirem quando a invasão russa da Ucrânia tirou o óleo de girassol ucraniano do mercado”, escreveu o economista-chefe de commodities da StoneX, Arlan Suderman, em nota a um cliente.

Os futuros de milho também subiram, com o contrato mais ativo atingindo seu maior patamar em quase uma década, enquanto as perspectivas climáticas mostraram pouco alívio do clima frio e úmido que estava mantendo os produtores do Meio-Oeste dos EUA fora dos campos.



Na bolsa de Chicago, o óleo de soja para julho fechou em alta de 2,29 centavos de dólar, a 84,72 centavos de dólar por libra-peso. O contrato alcançou a máxima de todos os tempos de 85,77 anteriormente.

A soja para julho subiu 21 centavos de dólar a 16,9275 dólares o bushel.

O milho para julho fechou em alta de 10,75 centavos de dólar, a 8,1225 dólares o bushel, após o contrato mais ativo tocar a sua máxima desde agosto de 2012.


Os futuros do trigo soft vermelho de inverno para julho caíram 3,75 centavos de dólar a 10,9125 dólares o bushel.

(Reportagem adicional de Gus Trompiz em Paris e Naveen Thukral em Cingapura)

tagreuters.com2022binary_LYNXNPEI3Q0Y6-BASEIMAGE