Giro

Por que mesmo com a paralisação da exportação para a China o preço da carne não cai?

Crédito: Pedro Bolle/ USP Imagens

Preço da carne não caiu no varejo (Crédito: Pedro Bolle/ USP Imagens)

A arroba do boi gordo atingiu nesta semana o menor valor do ano por conta da suspensão da exportação de carne para a China. Mas, afinal, por que não está mais barato fazer aquele churrasquinho no fim de semana? 



A suspensão do comércio de carne bovina com o país asiático aconteceu porque foram descobertos dois casos de vaca louca em animais em Minas Gerais e Mato Grosso. A Organização Internacional de Saúde Animal (OIE) já se manifestou dizendo que as ocorrências não representam riscos, mas a China mantém o veto desde o dia 4 de setembro.

+ Inflação: entenda por que o preço dos alimentos não vai cair tão cedo

E com as exportações e o preço da arroba do boi gordo caindo, não seria o caso da carne estar mais barata na prateleira? Por que isso não está acontecendo?

No Estado de São, por exemplo, o preço chegou a cair discretamente no atacado. Isso aconteceu porque parte da carga já estava embarcada para a China e abasteceu o mercado interno. Acontece que na maioria dos casos as cargas seguem em câmaras frias nos frigoríficos ou em contêineres.



No varejo, no entanto, o preço segue em alta. Na segunda semana de outubro ele subiu 0,62% e na semana anterior avançou 0,42%, segundo o Índice dos Preços ao Consumidor (IPC) na Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE).

Em entrevista ao G1, Guilherme Moreira, coordenador do IPC, apontou que na verdade o recuo no preço pode ter só evitado uma maior alta para o consumidor final. Por outro lado, se o embargo chinês durar por muito mais tempo, a queda no preço pode sim ser sentida no bolso do consumidor brasileiro. 

Na última terça-feira (20) o Ministério da Agricultura determinou que os frigoríficos aptos a vender para a China suspendam a produção para o país. Alguns analistas viram esse movimento como um sinal de que a suspensão pode durar mais tempo. 

O analista de Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias explicou ao G1 como funcionaria essa queda mais significativa. “Não tem outro consumidor mundial que consegue comprar em quantidade e preço o que a China compra do Brasil. Então essa carne vai acabar indo para o mercado interno e o preço pode recuar de forma mais significativa”, apontou. 

Já os pecuaristas diminuíram o abate dos bois na fazenda para não permitir uma queda muito forte nos preços do produto.


Veja também
+ Horóscopo: confira a previsão de hoje para seu signo
+ Vídeo: Motorista deixa carro Tesla no piloto automático e dorme em rodovia de SP
+ Vale-alimentação: entenda o que muda com novas regras para benefício
+ Veja quais foram os carros mais roubados em SP em 2021
+ Expedição identifica lula gigante responsável por naufrágio de navio em 2011
+ Tudo o que você precisa saber antes de comprar uma panela elétrica
+ Descoberto na Armênia aqueduto mais oriental do Império Romano
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Lago Superior: a melhor onda de água doce do mundo?