Edição nº 1088 21.09 Ver ediçõs anteriores

Por que a Lush vai fechar as portas no Brasil de novo

Por que a Lush vai fechar as portas no Brasil de novo

Loja da Lush em São Paulo: 928 unidades em 49 países

Quatro anos após ter reiniciado suas atividades no Brasil, a empresa britânica de cosméticos de luxo Lush está fechando as portas de novo. Em um comunicado divulgado no início da tarde desta segunda-feira (14), a Lush informa que “apesar do crescente aumento de vendas, a alta carga tributária e a prolongada recessão econômica, somados à instabilidade política, tornaram impossível à Lush continuar investindo e lucrar no País”. Segundo o comunicado, a fábrica e as cinco lojas vão encerrar suas atividades no próximo dia 20 de junho, e a loja virtual vai operar até 31 de agosto.

Lush
Sandra Isper Rocha trouxe a Lush ao País em 1999 (Crédito:Gabriel Reis)

É a segunda vez que a Lush não tem sucesso no Brasil. A primeira incursão acabou na Justiça. A empresária paulistana Sandra Isper Rocha foi a representante da marca por aqui. Em 1997, um amigo que havia viajado para a Inglaterra presenteou Sandra com um sabonete da marca. O presente agradou tanto que ela quis trazer os produtos da empresa para o País, o que conseguiu após dois anos de tratativas.

Inaugurada em 1999, a Lush chegou a ter 25 lojas no País e a faturar R$ 10 milhões por ano. No entanto, desentendimentos entre os sócios, que começaram em 2004, levaram ao fechamento das lojas no ano seguinte. Em 2007, Sandra desistiu de tentar um acordo amigável e processou os ingleses, pleiteando uma indenização de R$ 80 milhões. O processo havia sido extinto por perda de prazo, mas Sandra conseguiu uma reversão da decisão no Superior Tribunal de Justiça (STJ), no início deste ano. Agora, a situação volta a ficar indefinida. A Lush informou que a disputa judicial não interfere na decisão de fechar as portas.


Mais posts

Bradesco venderá previdência pelo celular

A Bradesco Vida e Previdência vai aproveitar uma mudança na regulamentação do mercado e, a partir do dia 29 de janeiro, começa a distribuir planos de previdência privada pelo celular. No dia 26 de janeiro entra em vigor uma resolução do Conselho Nacional dos Seguros, que dispensa as empresas de registrar os contratos por meio […]

Bradesco vende mais previdência usando a tradicional promoção

Isenção da taxa de carregamento em novos aportes elevou vendas de novembro em 38%

Gestor de fundos imobiliários questiona taxas cobradas pelo Credit Suisse

André Freitas, da Hedge Investments, solicita convocação de assembleia para reduzir taxas de 1,5% para 0,6%

Saída de Maria Silvia do BNDES já era esperada, diz analista

Já era esperado o pedido de demissão de Maria Sílvia Bastos Marques da presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e [...]

Queda da inflação eleva ganhos do Tesouro Selic

Rentabilidade real pode ser a maior desde 2008, apesar da redução dos juros pelo Banco Central
Ver mais
X

Copyright © 2018 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.