Mundo

Polônia prende executivo da Huawei acusado de espionagem

Ex-agente de segurança polonês também foi detido; homens devem ficar presos por até três meses

Polônia prende executivo da Huawei acusado de espionagem

Prédio da Huawei, em Dongguan, na província chinesa de Guangdong, em 18 de dezembro de 2018 - AFP

O governo da Polônia anunciou a prisão de um executivo da empresa de tecnologia chinesa Huawei por espionagem. De acordo com a TV estatal, um ex-agente de segurança também foi detido pelas autoridades sob o mesmo motivo. As detenções ocorreram na última terça-feira (8) e os envolvidos não tiveram as identidades reveladas.

O funcionário da Huawei seria um cidadão chinês, enquanto o ex-agente é de origem polonesa e que recentemente trabalhou para uma subsidiária da empresa de telecomunicações francesa Orange. Segundo a informações, ambos ficarão detidos por pelo menos três meses. Além das prisões, agentes do governo fizeram buscas nos escritórios da Huawei e da Orange.

A companhia chinesa de tecnologia, que recentemente passou a Apple como segunda maior produtora de smartphones no mundo, afirmou já ter sido informada do caso e que não se manifestará por enquanto.

“A Huawei cumpre todas as leis e regulamentos aplicáveis ​​nos países em que opera e exigimos que todos os funcionários cumpram as leis e regulamentos dos países onde estão baseados”, afirmou em um comunicado.



Não é a primeira vez que o nome da Huawei é ligado a escândalos de espionagem. Em dezembro passado a empresa foi acusada de passar informações de outros países ao governo da China. A empresa enfrenta rejeições em grandes mercados, como Estados Unidos, Austrália e países europeus.

Também em dezembro, a CFO e filha do fundador da empresa, Meng Wanzhou, foi presa no Canadá a pedido da Justiça dos EUA. O governo norte-americano acusava a executiva de manter negócios com o Irã através de bancos nacionais, burlando as sansões econômicas impostas por Donald Trump. Ela foi liberada após pagar fiança de US$ 7,6 milhões, mas permanece em Vancouver, onde deve usar uma tornozeleira eletrônica e cumprir toque de recolher.

 

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago