Mundo

Polônia expulsa barco do Greenpeace do porto de Gdansk

Polônia expulsa barco do Greenpeace do porto de Gdansk

O barco do Greenpeace "Rainbow Warrior", localizado em frente ao porto de Gdansk - AFP

Guardas de fronteira poloneses armados com metralhadoras invadiram o barco “Rainbow Warrior”, do Greenpeace, que bloqueou um terminal de carvão no porto de Gdansk e prendeu seu capitão espanhol, anunciou a organização ambientalista.

A operação, realizada por uma “unidade de intervenção especial”, foi confirmada à AFP pela porta-voz dos guardas de fronteira poloneses, Agnieszka Golias.

Duas pessoas – o capitão e um militante – dos 18 que estavam a bordo do barco foram presas, disse Golias.

As outras pessoas, libertadas após uma verificação de identidade, retornaram ao barcok que foi rebocado para fora do porto, disse à AFP outro porta-voz da Guarda de Fronteira, Tadeusz Gruchalla.

“Prendemos o capitão, um cidadão espanhol e um ativista austríaco por violação da segurança da navegação e depois rebocamos o navio para fora do porto”, disse Gruchalla.

O ‘Rainbow Warrior’ não estava autorizado a ancorar no porto “, explicou.

“Os guardas de fronteira subiram a bordo depois que seus repetidos pedidos de autorização foram ignorados”, disse Gruchalla.

Por sua vez, o Greenpeace disse em comunicado que o objetivo da manifestação pacífica do “Raibow Warrior” era protestar contra a política energética da Polônia.

“Os defensores do clima pediram ao governo polonês que proteja o clima e abandone o carvão até 2030”, afirmou o comunicado.

Enquanto estava no porto de Gdansk, o “Rainbow Warrior” impediu um navio de descarregar carvão de Moçambique.