Policial americano detido por morte de George Floyd

Policial americano detido por morte de George Floyd

(ARQUIVO)Imagem de 25 de maio de 2020, feita a partir de um vídeo, cortesia de Darnella Frazier via Facebook, mostra o policial Derek Chauvin de Minneapolis prendendo George Floyd. Chauvin foi preso em 29 de maio de 2020, dias após a ação fatal que provocou protestos - Facebook/Darnella Frazier/AFP/Arquivos

O policial acusado de matar o afro-americano desarmado George Lloyd na cidade americana de Minneapolis foi preso, informou uma autoridade estadual nesta sexta-feira(29).

Morte de cidadão negro durante sua prisão causa indignação nos EUA

Derek Chauvin, que foi visto em um vídeo pressionando seu joelho contra o pescoço de Floyd, que estava algemado, por pelo menos cinco minutos na segunda-feira, foi preso nesta sexta-feira, disse John Harrington, comissário do Departamento de Segurança Pública de Minnesota.

“Acabei de receber informações de Andrew Evans, superintendente do Departamento de Apreensão Criminal, de que o policial identificado como Derek Chauvin, envolvido na morte de Floyd, foi preso pela BCA”, disse Harrington a repórteres.

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.