Tecnologia

Polícia de Nova York quer que Waze e Google Maps parem de mostrar a localização de blitz

A porta-voz da corporação disse que a divulgação da localização das blitz pode configurar uma quebra na lei de Nova York sobre direção intoxicada

Polícia de Nova York quer que Waze e Google Maps parem de mostrar a localização de blitz

O Waze e mais recentemente o Google Maps (em menor escala) tem como principal função prover informações em tempo real do trânsito e acidentes no trajeto. Informações como trechos com lentidão, carros parados na pista e até buracos na via são comuns no aplicativos de transporte. Porém, há uma função que anda irritando policiais de Nova York, ao ponto da corporação ter enviado uma carta ao Google (que controla os dois aplicativos) pedindo para que fosse retirada.

No Waze, é possível colocar uma sinalização indicando o local da blitz policial, através de um caricato símbolo de um homem de bigode e chapéu policial. Apesar de não ter sido criado com este intuito, os usuários do aplicativo ressignificaram o desenho e ainda fazem comentários dando detalhes do “check point” para alertar os motoristas embriagados.

“A postagem deste tipo de informação para o público é irresponsável, pois servem apenas para ajudar motoristas intoxicados a fugir destes pontos de controle, encorajando a direção perigosa. Revelar os locais de blitz coloca os motoristas, seus passageiros e público em geral em risco”, escreveu em carta ao Google a comissária de assuntos legais da polícia de Nova York, Ann P. Prunty.

Ela disse ainda que a divulgação da localização das blitz pode configurar uma quebra na lei estadual de direção intoxicada e que seu departamento irá “buscar todas as medidas legais” para fazer com que pessoas parem de divulgar este tipo de informação.