Negócios

Plataformas para e-commerce: 5 sugestões para abrir um comércio virtual

Assim como em um ponto fixo, empreender na internet também precisa de planejamento e gestão; confira as 5 plataformas mais utilizadas no Brasil e dicas de especialistas

O mercado online é a principal opção para quem quer empreender sem grandes riscos. Além dos custos reduzidos, o comércio eletrônico possui menos burocracia e está em plena expansão. Dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) apontam um crescimento de 12% no setor em 2017, com lucro de R$ 60 bilhões. Para este ano, a projeção é ainda maior: alta de 15% e faturamento de R$ 69 bilhões.

Assim como em um ponto fixo, o planejamento prévio é fundamental no e-commerce. Segundo especialistas, ter uma plataforma que dê suporte ao negócio é tão importante quanto metas de vendas e gerenciamento de entregas.

Gerson Rolim, diretor de comunicação da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, explica que empreendimentos com orçamento de até R$ 20 mil devem optar por sistemas simples, apesar de serem mais limitados.

“Mesmo que seja uma plataforma menos robusta, você não corre o risco de sofrer fraudes ou ataques criminosos. É melhor abrir um negócio que não traga problemas e mudar de sistema quando o orçamento aumentar”, explica.



Capacitação aos usuários

As precauções não se limitam aos novos empreendedores. Àqueles que já têm experiência no comércio tradicional e querem migrar para as vendas online também precisam tomar cuidado, diz o vice-presidente da ABComm, Rodrigo Bandeira.

Percebendo a dificuldade que muitos empreendedores enfrentavam ao entrar no e-commerce, as próprias empresas responsáveis pelo desenvolvimento das plataformas começaram a oferecer cursos aos usuários.

“Várias empresas ingressavam, e por uma dificuldade natural de manuseio e suporte, elas abandonavam a utilização da plataforma. Eles perceberam que precisavam ir além de entrar com a tecnologia, precisavam entrar também com o conteúdo e a capacitação”, explica.

Sistemas não substituem profissionais

Segundo os especialistas, existem plataformas para todos os perfis de empreendimento, desde lojas com pequenos estoques até grandes redes de varejo. As plataformas auxiliam em uma série de etapas do negócio, como design das páginas, gerenciamento de entregas, contabilidade e gestão de estoques.

Mesmo com todos os benefícios, porém, Bandeira ressalta que o sistema virtual não substitui um profissional capacitado. “Você têm pessoas que precisam acompanhar os pedidos, despachar mercadoria e várias outras funções que necessitam ser supervisionadas ou executadas por um profissional. Até por conta disso, as empresas devem buscar cursos para a capacitação desse funcionário”, ressalta.

Os tipos de plataforma também variam de acordo com o tamanho do empreendimento. Os sistemas podem ser de código  fechado, aberto – quando o usuário tem acesso direto ao código fonte -, pago, gratuito e também funcionar em nuvem.

Veja abaixo as principais plataformas utilizadas no Brasil:

Magento

É a plataforma de e-commerce mais usada no mundo. Possui versões gratuitas e licenciadas, mas é voltada aos grandes comércios. “Ela exige um conhecimento de codificação e não é indicada para pequenos empreendedores, principalmente os que não têm experiência”, afirma Rolim. A Magento é a base para grande empresas, como a Nike e a brasileira Saraiva.

Conheça mais aqui.

Fastcommerce

É a plataforma de código fechado mais popular do Brasil. É de simples uso e entendimento, indicada para empresas pequenas e iniciantes. A Fastcommerce oferece um plano gratuito com limite de 50 itens para venda. Acima disso, é cobrada uma mensalidade.

Conheça mais aqui.

Vtex

É a principal plataforma em nuvem no País. A Vtex é licenciada e indicada para empresas grandes e com pessoas capacitadas em programação. A mesma companhia oferece a plataforma Loja Integrada, uma versão gratuita e mais simples da Vtex. “Ela possui as mesmas características da Fastcommerce, com limite de 5 mil visitas e 50 produtos cadastrados”, explica Rolim.

Conheça mais aqui.

WooCommerce

Plataforma gratuita e de código aberto. Foi feita para o uso como plugin do WordPress. Permite transformar os blogs em lojas virtuais,  sem dificuldades. Indicada para pessoas que não têm muito conhecimento em e-commerce e programação.

Conheça mais aqui.

Tray

Plataforma de código fechado e paga. Atua há 15 anos no mercado brasileiro. Atende pequenas e grandes empresas e pode ser integrada aos marketplaces. Este acesso permite a venda de produtos em grandes sites, como Amazon e Submarino.

Conheça mais aqui.

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Geisy reclama de censura em rede social: “O Instagram tá me perseguindo”
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Nicole Bahls já havia sido alertada sobre infidelidade do ex-marido
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago