Plataforma de doação cresce 37%

Plataforma de doação cresce 37%

Empresa especializada em inteligência de doação para o terceiro setor que atende as maiores organizações não governamentais no Brasil, a Trackmob teve alta de 36,8% no volume de captação no primeiro semestre de 2020. Foram arrecadados R$ 34,9 milhões, contra R$ 25,5 milhões do mesmo período do ano passado. “As organizações sociais sem fins lucrativos e as organizações da sociedade civil estão avançando muito rápido no profissionalismo”, diz Jonas Araujo, CEO da Trackmob. O número de doadores também cresceu nominalmente, passando de uma média mensal de 78 mil pessoas, de janeiro a junho de 2019, para 106 mil no mesmo período deste ano – alta de 35,9%. De acordo com CEO da Trackmob, durante a pandemia a empresa criou soluções digitais para organizações antes não atendidas, como hospitais e Santa Casa. Mesmo organizações que já são clientes há mais tempo, como Médicos Sem Fronteiras e Unicef, buscaram apoio para acelerar o processo de transformação digital, já que os captadores não puderam atuar nas ruas.

(Nota publicada na edição 1180 da Revista Dinheiro)

Veja também
+ Até 2019, havia mais gente nas prisões do que na bolsa de valores do Brasil
+ Gel de babosa na bebida: veja os benefícios
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Chef playmate cria receita afrodisíaca para o Dia do Orgasmo
+ Mercedes-Benz Sprinter ganha versão motorhome
+ Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Veja quanto custa comer nos restaurantes dos jurados do MasterChef
+ Leilão de carros e motos tem desde Kombi a Nissan Frontier 0km




Sobre o autor


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.