Economia

PIX e digitalização de pagamentos substituirão papel moeda, que é caro, diz BC

Crédito: Pixabay

O banco acredita que a emissão de papel moeda custa caro à sociedade brasileira (Crédito: Pixabay)

O diretor de Organização do Sistema Financeiro do Banco Central do Brasil, João Manoel Pinho de Mello, disse que a tendência é que a digitalização dos meios de pagamento, como o PIX, o sistema brasileiro de pagamentos instantâneos, deverão substituir gradualmente a emissão de papel moeda, que custa caro à sociedade brasileira.

“O Banco Central não vai se furtar a ofertar numerário quando há demanda, como na pandemia” ponderou ele.

+ Comércio se prepara para trabalhar com o Pix
+ Valor médio de transações do Pix foi R$ 90 no primeiro dia de teste

Mello participa do webinar “Novo Ambiente Regulatório para FinTechs no Brasil: Oportunidades e Desafios”, organizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).



O diretor afirmou que o BC tentou estimular o mercado privado a “aparecer com uma solução” para digitalizar pagamentos, como o PIX, por cinco a seis anos, mas que acabou cabendo à autoridade monetária oferecer o ambiente para isso. “O PIX é tão seguro quanto outros meios de pagamento, possivelmente mais”, completou.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel