Semana

PIB recua no primeiro trimestre do governo Bolsonaro

Economia

Divulgado na segunda-feira 15, o Índice de Atividade do Banco Central (IBC-Br) traduz em números a ineficiência do governo de Jair Bolsonaro. Segundo projeções, o Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre de 2019 deve ficar em 1%, com um recuo da atividade econômica de 0,73% em fevereiro em relação a janeiro. É a maior queda desde maio de 2018, quando a famigerada greve dos caminhoneiros paralisou o País. E o mês de março também não foi nada bem, com baixo consumo de energia e redução da confiança, o que indica, na melhor das hipóteses, estagnação econômica. O PIB do período só será divulgado pelo IBGE em 30 de maio. Até lá, caso as previsões se confirmem, o Brasil entrará de novo em rota recessiva, coisa que não acontecia desde o último trimestre de 2016. Os bancos Itaú, Bradesco e Fator já reavaliaram para baixo suas estimativas do PIB, enquanto as demais ainda mantém um otimismo cauteloso.

 

Propina

Corrupção leva ex-presidente do Peru a cometer suicídio

Alan Garcia, ex-presidente do Peru, se matou na quarta 17 com um tiro na cabeça. Ele foi presidente do Peru em dois momentos: 1985 a 1990 e 2006 a 2011. No primeiro mandato , adotou forte intervencionismo estatal na economia, o que acabou levando o país a uma grave crise. Foi sucedido pelo golpista Alberto Fujimori (1990-2000) e exilou-se na França, só retornando em 2001. No segundo governo, abraçou o liberalismo e o PIB cresceu 7, 2% no período. Acusações de corrupção acompanharam o sucesso. Delatores o acusam de receber propinas de US$ 4 milhões da empreiteira brasileira Odebrecht. Garcia negava tudo e se dizia um perseguido político. Em novembro passado, tentou se exilar no Uruguai, mas teve seu pedido de asilo negado. Na manhã de quarta-feira, a polícia foi até sua casa em Miraflores, bairro nobre de Lima, com um mandato de prisão. Ele pediu para consultar os advogados, fechou-se no quarto e atirou na cabeça. Foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

 

Curtas

1 – Em 2018 foram registrados 208 mil novos carros elétricos nos Estados Unidos, diz a IHS Market, empresa americana de análise de mercado. O número é o dobro do total registrado em 2017. A IHS estima o total de carros elétricos chegará a 1,1 milhão em 2015.

2 – O plano de recuperação judicial da Abril é questionado pelas editoras Globo, Ediouro e Três, que publica DINHEIRO. As empresas são credoras da Dinap (Distribuidora Nacional de Publicações), pertencente à Abril, que não repassou a elas resultado das vendas das suas revistas. Sem resolver isso, a recuperação pode não sair do papel.

3 – A divisão política inspirou estratégia de marketing da Skol. Em quatro filmes que têm pessoas trocando mensagens no WhatsApp, a empresa fala das diferenças entre os vários tipos de cerveja, da pielsen ao puro malte, e conclui: “Que família não tem suas pequenas diferenças?”

 

 

Ativismo

Prisão de Julian Assange gera 40 milhões de cyber-ataques

Depois de sete anos vivendo na embaixada do Equador em Londres, o ativista Julian Assange foi preso na quinta-feira 11. Dias depois, o Equador declarou que os sites governamentais sofreram 40 milhões de cyber-ataques originados na Holanda, Alemanha, Reino Unido, Romênia, França, EUA — e Brasil. Fundador do Wikileaks, Assange ficou famoso em 2010 ao vazar documentos sigilosos do governo americano. No mesmo ano, a Suécia pediu sua prisão por suspeita de estupro. Ao obter asilo político do Equador, se mudou para embaixada do país em Londres. Mas, em 2017, o Wikileaks divulgou provas de corrupção envolvendo Lenin Moreno, candidato à presidência do Equador. Eleito, revogou o asilo de Assange.

 

Lava Toga

STF censura revista e MP censura STF

Na segunda 15, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que o site “O Antagonista” e a revista digital “Crusoé” tirassem do ar postagens que envolvem o presidente da corte Dias Toffoli em investigações da Lava Jato. Toffoli é citado em e-mail de Marcelo Odebrecht a executivos que negociavam duas hidrelétricas no rio Madeira, em Rondônia. “Vocês fecharam com o amigo do amigo de meu pai?”, pergunta. “Amigo de meu pai” é Lula e “amigo do amigo” é Toffoli que, na época, chefiava a Advocacia Geral da União (AGU). O ministro Alexandre de Moraes, que cuida do inquérito aberto no Supremo para investigar fakenews, alegou “abuso no conteúdo” para proibir a reportagem. A Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER), Associação de Jornais (ANJ) e a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) condenaram a censura e a reportagem da “Crusoé”, que não tivera grande repercussão, foi parar em todos os veículos do país. Na terça 16, a procuradora-geral Rachel Dodge arquivou o inquérito do STF sobre fakenews, alegando que só o MP pode conduzir investigações. Na quarta 17, Tofolli ignorou Dodge a prosseguiu a ação.

 

Números

US$ 4, 4 bilhões – Foi o que a agência francesa Publicis pagou para levar a Epsilon, unidade de análise de dados da Alliance Data Systens. A ideia do grupo – que é dono da Saatchi & Saatchi e da Leo Burnett – é aprimorar o marketing digital para fazer frente aos gigantes Facebook e Google que têm 86% do mercado de anúncios on-line.

61% – Dos brasileiros consideram a Operação Lava Jato como “ótima/boa” segundo levantamento do DataFolha. Acrescentando os 18% que a veem como “regular”, o total da aprovação bate em 79%. O índice é alto mesmo entre eleitores do lulista Fernando Haddad em 2018: 44%.

1,00% – Foi a variação do Índice Geral de Preços (IGP) em abril, contra 1,40% registrado em março. Em 2019, o índice já está em 2,55%. Nos últimos doze meses, o IGP chega a 8,46%.

14% – A mais foi o que os turistas gastaram nas diárias de hotel em São Paulo em 2018 em comparação com 2017 segundo a plataforma Hoteis.com. Brasília teve a maior alta do país: 18%. O valor médio da hospedagem na capital paulista ficou em R$ 426 contra R$ 285 no Brasil como um todo.

1,3% – É o que deve crescer a América Latina este ano segundo a Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), entidade com sede em Santiago, no Chile. Esse índice era 1,7% em dezembro. “Até 2017 se falava em uma aceleração sincronizada, agora esperamos uma desaceleração sincronizada”, diz Daniel Titelmann, diretor da divisão de desenvolvimento econômico.