Giro

Petz espera movimentar R$ 3,4 bilhões com IPO

Crédito: Divulgação

A Petz vai deixar de ser controlada por um grande acionista com a abertura do capital (Crédito: Divulgação)

A oferta pública inicial (IPO, em na sigla em inglês) da rede de pet shops Petz deve movimentar até R$ 3,4 bilhões, segundo previsão da empresa.

Uma das líderes no segmento de produtos para animais de estimação, a Petz é controlada pela gestora de fundos de private equity Warburg Pincus LLC. A faixa de preço dos papeis deve ficar entre R$ 12,25 e R$ 15,25, definição que será anunciada em 9 de setembro.

+ MRV estuda fazer IPO da subsidiária Urba Desenvolvimento Urbano
+ Sequoia, Elfa Medicamentos, Alphaville, Ez Inc e Grupo Mateus fazem pedido de IPO
+ Airbnb planeja entrar com pedido de IPO em agosto

Serão disponibilizadas ao mercado 163.265.306 ações da empresa e o objetivo dessa abertura é turbinar os empreendimentos espalhados pelo País, como a abertura de novas lojas e hospitais veterinários. Já são 110 lojas sob o comando da rede.

Itaú Unibanco Holding S.A., Banco Santander Brasil S.A., Bank of America, JPMorgan Chase & Co. e Banco BTG Pactual S.A. serão os bancos responsáveis por coordenar o IPO.

Com a movimentação, a Warburg Pincus vai perder a maior parte dos 55,09% de ações que possui neste momento, indicando que a empresa deixará de possuir um acionista controlador ou grupo de controle. A previsão é de que o fundo retenha algo em torno de 20,82% e 5,49% das ações.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel