Economia

Petróleo tem leve alta após nova queda de reservas nos EUA

Petróleo tem leve alta após nova queda de reservas nos EUA

(Arquivo) Vista aérea de uma instalação de armazenamento de petróleo bruto em Cushing, Oklahoma, em 5 de maio de 2020 - AFP/Arquivos

Os preços do petróleo subiram nesta quarta-feira (23) depois de reagir positivamente ao relatório semanal sobre as reservas de petróleo nos Estados Unidos, que mostrou uma queda nos estoques pela segunda semana consecutiva.

O barril americano de WTI para entrega em novembro avançou 0,32% em relação ao fechamento de terça-feira, a US$ 39,93.

Enquanto isso, o Brent do Mar do Norte para entrega em novembro subiu 0,12%, chegando a US$ 41,77.

Na terça-feira, o WTI perdeu 0,74% e o Brent 0,67%.

Os preços reagiram favoravelmente após a publicação do relatório da agência americana de energia, que relatou quedas nos estoques de gasolina e petróleo bruto. Mas a escalada perdeu força.

“Os investidores não veem elementos suficientes neste relatório para impulsionar os preços. Reafirma o que sabemos”, resumiu Andrew Lebow, do Commodity Research Group.

A preocupação do mercado continua sendo a Líbia.

A Companhia Nacional de Petróleo da Líbia (NOC, na sigla em inglês) anunciou no sábado a retomada da produção e exportação de petróleo bruto em locais “seguros”.

“Isso tem potencial para reduzir os preços”, acrescentou Lebow.

– Reservas baixas –

As reservas comerciais de petróleo bruto nos Estados Unidos caíram menos do que os analistas esperavam na última semana, em sua segunda queda semanal consecutiva.

De acordo com o relatório da EIA, as reservas de petróleo caíram 1,6 milhões de barris (mb) para 494,4 mb em 18 de setembro.

Analistas procurados pela Bloomberg projetavam uma queda de 3,27 milhões de barris.

Nesse nível, as reservas de petróleo estão 13% acima da média do mesmo período dos últimos cinco anos, afirma o relatório.

Para a surpresa dos analistas, os estoques de gasolina caíram 4 mb quando eles esperavam uma queda de 1 mb. Os estoques de produtos destilados (combustível para aquecimento ou querosene de aviação) caíram 3,4 milhões de barris perante a queda de um milhão esperada.

Já as reservas estratégicas de petróleo caíram 800 mil barris, seguindo a tendência das últimas semanas.

As refinarias nos Estados Unidos operaram com 74,8% de sua capacidade, uma redução de um ponto percentual em relação à semana anterior.

As importações, que haviam caído na semana anterior, passaram de 5,01 milhões de barris por dia (mbd) para 5,16 mbd.

As exportações de petróleo bruto dos Estados Unidos, que também haviam caído, passaram de 2,60 mbd para 3,02 mbd.

Veja também

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?