Finanças

Petróleo fecha em queda de mais de 3% com dólar e impacto da 2ª onda de covid

Os contratos futuros de petróleo fecharam com fortes perdas nesta quinta-feira, 29, em mais um dia de onda generalizada da commodity, diante dos temores de que o persistente avanço global do coronavírus atrapalhe a já ameaçada recuperação da demanda. As incertezas estimularam a demanda pelo dólar, que se apreciou e pressionou o ativo energético.

O petróleo WTI para dezembro fechou em baixa de 3,26%, em US$ 36,17 o barril, na New York Mercantile Exchange (Nymex), e o Brent para janeiro recuou 3,48%, a US$ 38,26 o barril, na Intercontinental Exchange (ICE).

Pela manhã, as cotações chegaram a afundar mais de 6%, em meio ao noticiário sobre a covid-19. Ontem, Alemanha e França decretaram novas medidas de restrição à circulação de pessoas para conter a disseminação na doença, enquanto, no Reino Unido, o governo já cogita fazer o mesmo, conforme revelou uma fonte ao Broadcast. O cenário impulsionou o dólar, o que torna commodities mais caras e, portanto, menos atraente.

Diante desse quadro, a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, sinalizou que a instituição vai “recalibrar” os instrumentos de sua politica monetária.

“Claramente, essa nova onda de covid-19 vai pesar de alguma maneira sobre a demanda e, com o barril do Brent abaixo dos US$ 40, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) provavelmente ficarão sob pressão para tomar medidas na reunião do final de novembro”, avalia o ING, em relatório.

Ao longo da sessão, as perdas desaceleraram, em meio a indicadores econômicos positivos. O Departamento do Comércio dos Estados Unidos informou que o Produto Interno Bruto (PIB) do país registrou expansão de 33,1% no terceiro trimestre deste ano. O resultado ficou acima da mediana de estimativas coletadas pelo Projeções Broadcast, que apontava para um avanço de 32%.

Já o Departamento do Trabalho revelou que os novos pedidos de auxílio-desemprego nos EUA registraram queda de 40 mil na semana encerrada em 24 de outubro, a 751 mil, valor menor que a expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam 778 mil solicitações.

Investidores monitoram também o comportamento do Furacão Zeta, que chegou à costa do Golfo do México no estado americano da Louisiana, paralisando parte da produção loca.

Veja também

+ Sandero deixa VW Polo GTS para trás em comparativo
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial
+ Ivete Sangalo salva menino de afogamento: “Foi tudo muito rápido”
+ Bandidos armados assaltam restaurante na zona norte do RJ
+ Mulher é empurrada para fora de ônibus após cuspir em homem
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por redução de até 50% na parcela
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ iPhone 12: Apple anuncia quatro modelos com preço a partir de US$ 699 nos EUA
+ Veja mudanças após decisão do STF sobre IPVA
+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos
+MasterChef: competidora lava louça durante prova do 12º episódio’
+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil
+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados
+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020
+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

Tópicos

petróleo