Economia

Petrobras e Novonor pedem à CVM registro para oferta pública de ações da Braskem

A Petrobras e o grupo Novonor, ex-Odebrecht – por meio da holding NSP Investimentos, em recuperação judicial -, deram a largada oficialmente na alienação de suas participações na petroquímica Braskem. O pedido de registro para a oferta pública secundária, que será realizada simultaneamente no Brasil e no exterior, foi feito na sexta-feira, conforme documentos postados na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) já na madrugada deste sábado.

Conforme o prospecto preliminar da oferta subsequente, serão oferecidas até 154,886 ações preferenciais da série A da Braskem, na B3 e no exterior, sob a forma de recibos dessas ações (ADSs, American Depositary Shares, na sigla em inglês). Não haverá colocação de lote adicional ou suplementar. Ao preço de fechamento dos papéis na quinta-feira, 13, na B3, a oferta global movimentaria mais de R$ 8 bilhões.



O preço dos papéis será estipulado após rodada de apresentação da oferta a investidores institucionais. Do total ofertado, 79,2 milhões de ações pertencem à NSP Investimentos e 75,7 milhões de ações, à Petrobras.

O coordenador líder da oferta global é o Banco Morgan Stanley. Atuam também na operação JPMorgan, Bradesco BBI, BTG Pactual, Citi, Itaú BBA, Santander e UBS BB.

+ Especialista revela o segredo dos bilionários da bolsa. Inscreva-se agora e aprenda!