Giro

Pessoas assintomáticas não são saudáveis ​​e podem espalhar covid-19

Crédito: Reprodução/Pexels

De acordo com evidências científicas e autoridades de saúde globais, os próprios pacientes assintomáticos podem transmitir a doença (Crédito: Reprodução/Pexels)

Mensagens com informações falsas circulam em plataformas como Facebook e Twitter, ao mesmo tempo que dispersam afirmações como “não existem pacientes assintomáticos” ou que são “pessoas saudáveis ​​que o Estado tenta convencer de que estão doentes” .

Uma dessas queixas é atribuída a uma médica identificada como Natalia Prego e designada para Médicos pela Verdade, um movimento de negação que surgiu com a pandemia e que está se expandindo rapidamente entre continentes, tendo Alemanha, Espanha e América Latina como eixos mais ativos.

+ Pandemia faz faltar ketchup nos Estados Unidos

Segundo citações atribuídas a Prego numa imagem compartilhada dezenas de vezes, “não existem doentes assintomáticos, são exames que dão falsos positivos” e são pessoas que “não estão doentes, são saudáveis ​​e portanto não infectam ninguém”.

“Há uma grande manipulação psicológica da população. Há médicos que podem ser obrigados a dizer o que seus governos querem à mídia e à OMS”, acrescenta a mensagem.

Outras publicações, desta vez sem indicação de fonte, também alertam que as autoridades “jamais admitirão que os assintomáticos são pessoas saudáveis, porque é a base de toda essa grande mentira”.

A verdade é que, de acordo com evidências científicas e autoridades de saúde globais, os próprios pacientes assintomáticos podem transmitir a doença. De acordo com o “Guia sobre como covid-19 é transmitido” da Organização Mundial da Saúde (OMS), “independentemente de terem ou não sintomas, as pessoas infectadas podem ser contagiosas e o vírus pode ser transmitido a outras pessoas”.

De fato, os dados laboratoriais sugerem, segundo a entidade, que “as pessoas infectadas parecem ser mais infecciosas pouco antes de desenvolverem os sintomas (ou seja, 2 dias antes) e no início da doença”. Mas em nenhum caso não ter sintomas é sinônimo de não espalhar o vírus.

A OMS especifica neste documento que existem tanto pacientes assintomáticos – infectados que nunca apresentaram os sintomas da doença – quanto pré-sintomáticos – ou que inicialmente não relatam os sinais, mas os desenvolvem alguns dias depois. Em ambos os casos, há transmissão do vírus.

A situação é ainda mais complexa: um estudo publicado em janeiro passado e realizado por especialistas sênior dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) descobriu que “mais de 50% dos casos de coronavírus são transmitidos por pessoas que não apresentam sintomas”.

O Departamento de Saúde dos EUA concorda com essa pesquisa em seu site e destaca que essas descobertas “sugerem que a identificação e o isolamento de pessoas sintomáticas com COVID-19 não controlam por si mesmas a disseminação contínua da SARS-CoV-2”.

Na verdade, os pesquisadores estimam que 24% das pessoas que transmitem o vírus a outras nunca desenvolvem sintomas e outros 35% são pré-sintomáticos.

Tampouco é verdade, como asseguram as mensagens nas redes sociais, que pacientes assintomáticos sejam produto de “falsos positivos” ou de erros em testes padronizados para detectar a presença do vírus no organismo.

Segundo José David Urbaez, diretor científico da Sociedade de Doenças Infecciosas do Distrito Federal do Brasil, “não há possibilidade de falso positivo nos testes de biologia molecular para SARS-CoV-2, por serem altamente específicos”.

“O que existe muitas vezes são falsos negativos, em relação à coleta fora da curva de detecção nos tecidos das vias aéreas superiores, onde leva um tempo de 4 a 5 dias para o vírus atingir a concentração adequada”, explicou.

Veja também

+ Carreira da Década - Veja como ingressar na carreira que faltam profissionais, mas sobram vagas
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel