Giro

Pesquisadores encontram potencial antibiótico no canabidiol

Crédito: Reprodução/Pexels

No estudo australiano, o canabidiol demonstrou matar as bactérias responsáveis ​​pela gonorréia, meningite e doença do legionário. (Crédito: Reprodução/Pexels)

Um estudo recente da Universidade de Queensland, na Austrália, descreve que o canabidiol demonstrou matar as bactérias responsáveis ​​pela gonorréia, meningite e doença do legionário. As descobertas podem levar à primeira nova classe de antibióticos para bactérias resistentes em seis décadas.

O professor Mark Blaskovich do Instituto de Biociências Moleculares disse que o canabidiol (CDB) – o principal componente não psicoativo da cannabis – pode penetrar e matar uma ampla gama de bactérias. “Esta é a primeira vez que o CBD demonstrou matar alguns tipos de bactérias Gram-negativas. Essas bactérias têm uma membrana externa extra, uma linha adicional de defesa que torna mais difícil a penetração dos antibióticos”, disse Blaskovich.

+ Confusão: antidepressivo nas caixas de remédio para impotência masculina
+ Anvisa identifica primeiro caso de fungo fatal e resistente a remédios no Brasil

Na Austrália, a gonorréia é a segunda infecção sexualmente transmissível mais comum e não há mais um único antibiótico confiável para tratá-la porque a bactéria é particularmente boa em desenvolver resistência.



O estudo também mostrou que o CBD foi amplamente eficaz contra um número muito maior de bactérias Gram-positivas do que anteriormente conhecido, incluindo patógenos resistentes a antibióticos. A equipe do Dr. Blaskovich imitou um tratamento de paciente de duas semanas em modelos de laboratório para ver quão rápido a bactéria sofreu mutação para tentar superar o poder de matar do CBD. “O canabidiol mostrou uma baixa tendência de causar resistência em bactérias, mesmo quando aceleramos o desenvolvimento potencial aumentando as concentrações do antibiótico durante o ‘tratamento'”.

A equipe de pesquisa também descobriu que os análogos químicos também eram ativos contra as bactérias. “Isso é particularmente excitante porque não houve novas classes moleculares de antibióticos para infecções Gram-negativas descobertas e aprovadas desde 1960, e agora podemos considerar a criação de novos análogos do CBD dentro de propriedades melhoradas”.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel