Política

Pesquisa indica disputa acirrada entre Lula e Bolsonaro no Rio de Janeiro

Crédito: Ricardo Stuckert

Ex-presidente Lula é líder nas pesquisas (Crédito: Ricardo Stuckert)



Pesquisa Genial/Quaest publicada nesta terça-feira (17) aponta que a disputa entre o atual presidente Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será equilibrada no Rio de Janeiro. De acordo com o levantamento, nas intenções de votos espontâneas, quando o nome dos candidatos não são apresentados, Bolsonaro tem 25% e Lula 23%.

Na estimulada há um empate numérico: 35% a 35%. Em comparação com a última pesquisa, no mês de março, Lula caiu 4% enquanto Bolsonaro subiu 4%. Ciro Gomes (PDT) tem 6%, João Doria (PSDB) 2%, Andre Janones (Avante) 2% e Simone Tabet (MDB) aparece com 1%.

+Brasil deve mostrar que rejeita “aventuras autoritárias”, diz ministro

No segundo turno, o petista leva vantagem com 47% contra 38% de Bolsonaro. 



Maioria acha que Bolsonaro não merece uma segunda chance

Apesar do equilíbrio no primeiro turno, a pesquisa trouxe notícias ruins para o atual presidente. A avaliação positiva de seu governo no estado subiu 4%, indo de 26% para 30%, porém a avaliação negativa permanece estável em 46%.

Além disso, 58% dos entrevistados acreditam que Bolsonaro não merece uma segunda chance na Presidência.    

Cláudio Castro aparece na frente para o governo do estado 

Na pesquisa para o governo do estado, o atual governador Claudio Castro (PL) está na frente no primeiro turno em todos os cenários. Ele lidera com 26% contra 18% de Marcelo Freixo (PSB). No segundo turno ele aparece com 38% contra 27% de Freixo. 


Na avaliação de seu governo, 40% o consideram regular, 20% aprovam e outros 20% reprovam sua gestão. Castro assumiu o governo fluminense em agosto de 2020, após afastamento do titular Wilson Wilson Witzel, que posteriormente foi cassado.  

Força dos apoios

O equilíbrio entre Lula e Bolsonaro também se mostra no peso do apoio de ambos a seus candidatos. Questionados quem que eles preferem que vença as eleições, 33% quer um candidato mais ligado a Lula e 32%, mais ligado a Bolsonaro. 

Números parecidos aparecem quando os eleitores são perguntados se mudariam o seu voto caso fosse apoiado por algum dos dois presidenciáveis: 36% mudariam o voto por Lula e 35% por Bolsonaro.