Giro

Pesquisa encontra novo coronavírus em morcegos no Reino Unido

Crédito: Reprodução/Pexels

Não há evidências de que o vírus tenha sido transmitido aos humanos, ou que poderia no futuro, a menos que sofra uma mutação. (Crédito: Reprodução/Pexels)

Um novo coronavírus, relacionado ao SARS-CoV-2 que causa Covid-19 em humanos, foi detectado em morcegos-ferradura no Reino Unido, segundo uma nova pesquisa da Universidade de East Anglia, em Londres e a Public Health England. Os pesquisadores, no entanto, disseram que não há evidências de que o vírus tenha sido transmitido aos humanos, ou que poderia no futuro, a menos que sofra uma mutação.

O novo vírus se enquadra no subgrupo de coronavírus denominado sarbecovírus, que contém o SARS-CoV-2, que causa a Covid-19, e o SARS-CoV, responsável pelo surto de SARS em 2003.

Pesquisadores da Universidade de East Anglia coletaram amostras fecais de mais de 50 morcegos-ferradura. As amostras foram então enviadas ao Public Health England para análise viral. O sequenciamento do genoma detectou a presença de novos coronavírus em uma das amostras.

+ OMS pede vitória “na corrida contra o vírus” em sessão do COI



O sarbecovírus, coronavírus relacionado à SARS, foi encontrado pela primeira vez em um morcego-ferradura e também é o primeiro a ser descoberto no Reino Unido. Além disso, os pesquisadores disseram que os morcegos teriam “quase certamente” abrigado o vírus por um longo tempo e esta é a primeira vez que isso foi testado e agora foi descoberto. A menos que o vírus sofra uma mutação, é improvável que eles representem um risco direto para os humanos, acrescentaram.

O vírus pode sofrer mutação se um humano infectado com Covid-19 o passar para um morcego infectado, disseram os pesquisadores. Eles também pediram a qualquer pessoa que entre em contato com morcegos ou seus excrementos que usasse equipamentos de proteção individual adequados.

Morcegos-ferradura são encontrados em toda a Europa, África, Ásia e Austrália. Garantindo que o vírus do Reino Unido não seja uma ameaça para os humanos, o professor Andrew Cunningham, da Zoological Society of London disse: “Mas o problema é que qualquer morcego abrigando um coronavírus semelhante ao da SARS pode atuar como um caldeirão para a mutação do vírus”.

“Prevenir a transmissão do SARS-CoV-2 de humanos para morcegos e, portanto, reduzir as oportunidades de mutação do vírus, é crítico com a atual campanha global de vacinação em massa contra este vírus”, disse ainda o Prof Cunningham.

O parente mais próximo do vírus foi descoberto em um morcego Blasius da Bulgária em 2008, o que revelou uma análise mais aprofundada do vírus em comparação com outros encontrados em espécies de morcegos-ferradura na China, sudeste da Ásia e Europa.

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago