Finanças

Paraná Banco além-fronteiras

Instituição aposta no consignado para ampliar presença fora do Estado e junto aos nativos digitais

Crédito: Gabriel Reis

Cristiano Malucelli: aposentados do INSS prevalecem na carteira de consignado do Paraná Banco, mas a intenção é reverter essa tendência (Crédito: Gabriel Reis)

A propaganda é a alma do negócio. O Paraná Banco que o diga. Para aumentar sua presença além das fronteiras paranaenses, a instituição financeira está lançando outra marca, a PB Consignado. Serão investidos R$ 20 milhões em marketing para apresentá-la ao grande público, o que inclui a contratação da atriz global Lilia Cabral e a criação de um novo logotipo. A meta é captar clientes fora do estado de origem e rejuvenescer a clientela, hoje com uma pesada participação de aposentados do INSS. Para isso, 75% do investimento em propaganda será direcionado às mídias digitais. “Identificamos uma oportunidade única para atuar como um banco digital no crédito consignado”, afirma Cristiano Malucelli, presidente do Paraná Banco. “A nova marca se tornou importante porque, no mundo digital, vamos poder prospectar clientes sem limitação geográfica”, diz ele.

Como várias instituições financeiras de menor porte, o Paraná Banco apostou no consignado, linha de crédito em que o risco de inadimplência é mais baixo. Porém, o ritmo fraco de atividade econômica manteve esses empréstimos estagnados em R$ 3,3 bilhões no ano passado. A nova marca é uma tentativa de ampliar essa cifra. “A carteira total do consignado é de cerca de R$ 300 bilhões, por isso o potencial para crescer é enorme”, diz Malucelli. Por ser uma companhia de capital aberto, o executivo prefere não revelar as projeções de crescimento, mas afirma que a meta é mudar o banco de patamar. “O passado não serve como referência, porque com o modelo digital seremos muito mais ágeis e eficientes do que éramos com o manual, que tem um processo mais lento”, diz ele.

NOVO MIX A piora da situação fiscal dos Estados fez o banco reduzir a participação dos servidores públicos em sua carteira. Eles passaram de 36% em meados de 2018 para 30%. Em seu lugar entraram os aposentados do INSS, cuja participação subiu de 29% para 35%. A intenção é voltar a ter mais servidores. “O ticket médio deles é mais alto”, diz Malucelli, que não revela valores. Isso, porém, depende da reforma da Previdência para equilibrar as contas estaduais.

Além da nova marca para o consignado, também foi criada a Paraná Banco Investimentos, que vai facilitar a captação de recursos junto a investidores individuais. Segundo Malucelli, com a queda dos juros, opções de maior valor agregado, como ações e multimercados, devem ganhar espaço na prateleira da casa, assim como produtos de terceiros.