Política

Para advogado de Bolsonaro, Adélio não agiu sozinho

O advogado Frederick Wassef, que assumiu a defesa do presidente Jair Bolsonaro, disse nesta terça-feira, dia 1º, concordar “integralmente” com o procurador-geral da República, Augusto Aras, para quem Adélio Bispo não agiu sozinho no episódio da facada no então candidato à Presidência.

Wassef acredita que foi um equívoco a defesa de Bolsonaro não ter recorrido do arquivamento do caso, pedido pelo Ministério Público Federal. “Era necessário provar que Adélio não é louco. É um assassino profissional e foi pago para isso”, afirmou Wassef ao jornal O Estado de S. Paulo.

Na avaliação do defensor do presidente, há uma “organização criminosa” por trás da tentativa de assassinato de Bolsonaro. Com a procuração nas mãos para defender o presidente, o advogado – que também representa o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) no caso das movimentações financeiras atípicas, irá a Juiz de Fora (MG) estudar os detalhes do processo arquivado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também

+ T-Cross ganha nova versão PCD; veja preço e fotos

+Conheça os 42 anos de história da picape Mitsubishi L200

+ Remédio barato acelera recuperação de pacientes com covid-19

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?