Papo social

Papo social

Fabio Silva Fundador do Transforma Brasil e um dos idealizadores do primeiro shopping social do Brasil. Previsto para abrir as portas em março no Recife, o empreendimento oferecerá exclusivamente produtos e serviços com impactos postitivos para a sociedade.

De onde surgiu a ideia?
Visitei ecossistemas de impacto social colaborativos por Estados Unidos, Chile e Portugal. Dessas inspirações veio a ideia de algo diferente e próximo ao modelo de um shopping.

Como funcionará?
Em um prédio de 2,8 mil m2, teremos 50 lojas e 150 projetos que precisam necessariamente ter um impacto social. Também haverá áreas comuns como praça de alimentação e salas de reunião. Um projeto aberto ao público que busca marcas, produtos e serviços responsáveis.

Já no on-line teremos uma plataforma própria e estaremos também no site do Magazine Luísa.

Quanto custará?
A reforma custará R$ 3 milhões que será custeada pela iniciativa privada em um prédio histórico cedido pela prefeitura de Recife.

(Nota publicada na edição 1198 da Revista Dinheiro)

Veja também
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago



Sobre o autor


Mais colunas e blogs


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2021 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.