Sustentabilidade

Papo responsável

Crédito: Divulgação

Gesner de Oliveira Sócio da GO Associados e ex-presidente da Sabesp e do Cade. (Crédito: Divulgação)

Recém-lançado, o livro Nem Negacionismo, Nem Apocalipse – Economia do Meio Ambiente: Uma Perspectiva Brasileira traz uma perspectiva local das questões ambientais. Para falar sobre a obra, feita em coautoria com o administrador Artur Villela Ferreira, Oliveira bateu um papo com a DINHEIRO.

Nem Negacionismo
“Ainda é muito comum a alegação de que a discussão sobre o meio ambiente é para país rico. Que eles desmataram e, uma vez ricos, cobram dos emergentes. Mas não podemos reeditar a história. O fato é que agora, estamos no cheque especial ambiental. É real o sentido de urgência na necessidade de cuidado com o planeta. Não dá para negar.”

Nem Apocalipse
“Há movimentos que exigem mudanças radicais rumo à economia verde. No livro, defendemos o gradualismo. É irresponsável exigir o fim imediato do combustível fóssil. Precisamos deles. Claro que dá para ter um uso mais racional na transição para uma matriz energética limpa e renovável. Também não faz sentido demonizar o plástico. Veja como está sendo útil nos equipamentos médicos nesta pandemia.”

Perspectivas Brasileiras
“O livro nasceu da observação de que faltavam obras que tratassem da economia do meio ambiente sob a perspectiva do Brasil. Nós temos diversas peculiaridades que nos diferem do resto do mundo. Precisamos debater as questões do Brasil.”

(Nota publicada na edição 1216 da Revista Dinheiro)