Giro

Papa acompanha ‘com atenção’ vida ‘complexa’ dos católicos na China

Papa acompanha ‘com atenção’ vida ‘complexa’ dos católicos na China

Papa Francisco acompanha 'com atenção' vida 'muitas vezes complexa' dos católicos na China - AFP



O papa Francisco disse, neste domingo (22), que acompanha, “atentamente”, a vida “muitas vezes complexa” dos católicos na China, mas não se referiu, de forma direta, à prisão do cardeal Joseph Zen, de 90 anos, que detido e solto sob fiança este mês em Hong Kong.

“Sigo atenta e ativamente a vida e os assuntos, muitas vezes complexos, dos fiéis e dos pastores, e rezo por eles todos os dias”, afirmou o pontífice a uma multidão reunida na Praça de São Pedro, no Vaticano.

O papa argentino aproveitou a ocasião para expressar, “mais uma vez”, sua “proximidade espiritual” para com os católicos da China.

O cardeal aposentado Joseph Zen, um dos clérigos católicos de mais alto hierarquia na Ásia, foi detido em Hong Kong no início deste mês, junto com três ativistas pró-democracia, por “conspirar com forças estrangeiras”.



Os quatro foram detidos por sua participação em um fundo de defesa, já dissolvido, que ajudou a cobrir os custos legais e médicos das pessoas presas durante as grandes manifestações pró-democracia de 2019. Horas depois, o grupo foi solto sob fiança.

No momento de ocorrência dos fatos, o Vaticano manifestou sua preocupação com a detenção do cardeal Zen e disse que “acompanhava de muito perto a evolução da situação”.

Zen criticou a decisão do Vaticano de chegar a um compromisso com a China sobre a nomeação de bispos no continente e acusou o Vaticano de minimizar sua prisão.