Negócios

Pão e vinho

Pão de Açúcar Adega é a aposta para revolucionar o mercado de vinhos no País

Crédito: Ricardo Teles

Point dos enófilos: localizada em São Paulo, primeira Adega do GPA conta com 1,4 mil rótulos (Crédito: Ricardo Teles)

Em 2016, o grupo Pão de Açúcar (GPA) resolveu aguçar o paladar de seus consumidores com uma nova fórmula. A empresa lançou o clube de assinaturas Viva Vinhos, iniciativa que oferece a 14 mil assinantes a praticidade de receber mensalmente rótulos exclusivos selecionados por um time de especialistas. “Queremos que esse número cresça de forma exponencial em 2019, quando iremos aumentar muito a carga de mídia e as apostas em torno desse programa”, diz Rodrigo Pimentel, diretor de e-commerce alimentar do grupo. A empresa quer ter 50 mil assinantes do clube até 2020.

O GPA foi a primeira do setor a ter um consultor próprio de vinhos – o enófilo renomado Carlos Cabral – e a inserir a função de atendente de vinhos em supermercados para as bandeiras Extra e Pão de Açúcar. Os esforços foram importantes para transformá-lo no maior vendedor da bebida no País. Na última quinta-feira 13, a empresa deu um novo passo para se consolidar nesse mercado. Foi inaugurado, na Rua Augusta, em São Paulo, o Pão de Açúcar Adega, nova bandeira especializada da rede. “Não se trata de uma loja que tem um site. É um site que tem uma loja e possibilita a experiência de compra para o consumidor”, diz o francês Frederic Garcia, diretor-executivo dos formatos de proximidade do GPA.

Ricardo Teles

Cerca de 1,4 mil rótulos de vinhos estão disponíveis na primeira loja física. Já no e-commerce, esse número salta para 1,9 mil. A aposta é ousada: o GPA quer democratizar o acesso a diversos rótulos de vinhos e a outras bebidas. O modelo é semelhante ao da Total Wine, loja americana que comercializa mais de 8 mil vinhos pelos mais variados preços.

O investimento inicial ainda é tímido, mas tende a crescer. O GPA empregou R$ 2 milhões nessa primeira operação. Embora não haja um plano de expansão claro, a DINHEIRO apurou que duas novas unidades da bandeira devem ser inauguradas em breve na cidade de São Paulo. Uma em Moema, zona sul da capital paulistana, e a outra no bairro da Mooca, zona leste. Enquanto as lojas físicas não chegam, os esforços se voltam para o e-commerce da bandeira. “Num primeiro momento, os itens que estão nos surpreendendo são os de maior valor, os chamados produtos icônicos, como os vinhos Catena e Cartuxa”, diz Pimentel. Com garrafas para diversos bolsos, os rótulos variam entre R$ 40 e R$ 8 mil.