Edição nº 1142 14.10 Ver ediçõs anteriores

Política

Palocci pede autorização à justiça para voltar a trabalhar

O ex-ministro Antonio Palocci pediu autorização à Justiça para a voltar a trabalhar. Segundo o requerimento feito à 12.ª Vara Federal de Curitiba, Palocci recebeu um convite para ser “assessor de planejamento” do Instituto Universal Brasileiro, empresa que desde a década de 40 ministra cursos a distância.

De acordo com a defesa do ex-ministro, Palocci não vai ter salário fixo. A remuneração vai depender dos ganhos financeiros que o ex-todo-poderoso czar da economia nos governos Luiz Inácio Lula da Silva proporcionar à empresa.

Em janeiro, o jornal O Estado de S. Paulo mostrou que ele disse a pessoas próximas que desejava retomar as atividades de consultor. Antes, ele próprio confessou ter usado a empresa Projeto Consultoria para camuflar milhões de reais oriundos de propinas.

Desde novembro Palocci cumpre pena em seu apartamento no bairro dos Jardins, em São Paulo. Condenado a 12 anos e 2 meses de detenção na Lava Jato, o ex-petista ganhou o benefício e redução na pena para 9 anos de prisão depois de se tornar colaborador da Justiça.

Em audiência com o juiz Danilo Pereira Junior, no fim do ano passado, ele mesmo pediu autorização para voltar a trabalhar. “Não quero passear, não quero nada, mas trabalhar, assim, acho que é uma necessidade familiar”, disse Palocci ao magistrado. “Não sei se isso conta, desculpe minha ignorância, mas eu sou autônomo, eu dependo de trabalhar e acho que no processo de cumprimento de pena o trabalho não é negativo né? Tenho certeza de que o senhor pensa assim também”, completou o ex-ministro.

“Não, muito pelo contrário”, respondeu o juiz.

Segundo o pedido encaminhado em 4 de abril, Palocci cumpriria jornada das 9h às 17h de segunda a sexta-feira em uma das sedes do IUB em São Paulo.

Hoje o ex-ministro cumpre pena em regime “semiaberto diferenciado com recolhimento residencial integral”, usa tornozeleira eletrônica e só pode sair de casa com autorização judicial. As visitas são limitadas a pessoas sem relação com a Lava Jato.

Rotina

Segundo pessoas próximas, Palocci passa os dias cuidando de plantas e escrevendo, no apartamento de 500 m² avaliado em R$ 12 milhões nos Jardins.

Palocci adquiriu o hábito de plantar mudas de árvores frutíferas nos dois anos em que esteve preso em Curitiba. Na época ele aproveitava as sementes das frutas que consumia e semeava mudas com as quais presenteava colegas de cárcere e visitantes. Além disso, o ex-ministro faz exercícios físicos e escreve um livro com as reflexões que anotou na cadeia sobre os erros dele próprio e do PT.

O pedido de Palocci ainda será apreciado pelo Ministério Público Federal. A Procuradoria já questionou réus da Lava Jato que fizeram cursos a distância pelo IUB para abater penas.

O Instituto Universal Brasileiro afirmou que ofereceu uma vaga a Palocci, mas que, desde o fim de março, as conversas não avançaram. Ainda segundo o instituto, não foram discutidas questões de remuneração e não houve contratação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Política

Palocci pede autorização à justiça para voltar a trabalhar

O ex-ministro Antonio Palocci pediu autorização à Justiça para a voltar a trabalhar. Segundo o requerimento feito à 12.ª Vara Federal de Curitiba, Palocci recebeu um convite para ser “assessor de planejamento” do Instituto Universal Brasileiro, empresa que desde a década de 40 ministra cursos a distância.

De acordo com a defesa do ex-ministro, Palocci não vai ter salário fixo. A remuneração vai depender dos ganhos financeiros que o ex-todo-poderoso czar da economia nos governos Luiz Inácio Lula da Silva proporcionar à empresa.

Em janeiro, o jornal O Estado de S. Paulo mostrou que ele disse a pessoas próximas que desejava retomar as atividades de consultor. Antes, ele próprio confessou ter usado a empresa Projeto Consultoria para camuflar milhões de reais oriundos de propinas.

Desde novembro Palocci cumpre pena em seu apartamento no bairro dos Jardins, em São Paulo. Condenado a 12 anos e 2 meses de detenção na Lava Jato, o ex-petista ganhou o benefício e redução na pena para 9 anos de prisão depois de se tornar colaborador da Justiça.

Em audiência com o juiz Danilo Pereira Junior, no fim do ano passado, ele mesmo pediu autorização para voltar a trabalhar. “Não quero passear, não quero nada, mas trabalhar, assim, acho que é uma necessidade familiar”, disse Palocci ao magistrado. “Não sei se isso conta, desculpe minha ignorância, mas eu sou autônomo, eu dependo de trabalhar e acho que no processo de cumprimento de pena o trabalho não é negativo né? Tenho certeza de que o senhor pensa assim também”, completou o ex-ministro.

“Não, muito pelo contrário”, respondeu o juiz.

Segundo o pedido encaminhado em 4 de abril, Palocci cumpriria jornada das 9h às 17h de segunda a sexta-feira em uma das sedes do IUB em São Paulo.

Hoje o ex-ministro cumpre pena em regime “semiaberto diferenciado com recolhimento residencial integral”, usa tornozeleira eletrônica e só pode sair de casa com autorização judicial. As visitas são limitadas a pessoas sem relação com a Lava Jato.

Rotina

Segundo pessoas próximas, Palocci passa os dias cuidando de plantas e escrevendo, no apartamento de 500 m² avaliado em R$ 12 milhões nos Jardins.

Palocci adquiriu o hábito de plantar mudas de árvores frutíferas nos dois anos em que esteve preso em Curitiba. Na época ele aproveitava as sementes das frutas que consumia e semeava mudas com as quais presenteava colegas de cárcere e visitantes. Além disso, o ex-ministro faz exercícios físicos e escreve um livro com as reflexões que anotou na cadeia sobre os erros dele próprio e do PT.

O pedido de Palocci ainda será apreciado pelo Ministério Público Federal. A Procuradoria já questionou réus da Lava Jato que fizeram cursos a distância pelo IUB para abater penas.

O Instituto Universal Brasileiro afirmou que ofereceu uma vaga a Palocci, mas que, desde o fim de março, as conversas não avançaram. Ainda segundo o instituto, não foram discutidas questões de remuneração e não houve contratação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Política

Palocci pede autorização à justiça para voltar a trabalhar

O ex-ministro Antonio Palocci pediu autorização à Justiça para a voltar a trabalhar. Segundo o requerimento feito à 12.ª Vara Federal de Curitiba, Palocci recebeu um convite para ser “assessor de planejamento” do Instituto Universal Brasileiro, empresa que desde a década de 40 ministra cursos a distância.

De acordo com a defesa do ex-ministro, Palocci não vai ter salário fixo. A remuneração vai depender dos ganhos financeiros que o ex-todo-poderoso czar da economia nos governos Luiz Inácio Lula da Silva proporcionar à empresa.

Em janeiro, o jornal O Estado de S. Paulo mostrou que ele disse a pessoas próximas que desejava retomar as atividades de consultor. Antes, ele próprio confessou ter usado a empresa Projeto Consultoria para camuflar milhões de reais oriundos de propinas.

Desde novembro Palocci cumpre pena em seu apartamento no bairro dos Jardins, em São Paulo. Condenado a 12 anos e 2 meses de detenção na Lava Jato, o ex-petista ganhou o benefício e redução na pena para 9 anos de prisão depois de se tornar colaborador da Justiça.

Em audiência com o juiz Danilo Pereira Junior, no fim do ano passado, ele mesmo pediu autorização para voltar a trabalhar. “Não quero passear, não quero nada, mas trabalhar, assim, acho que é uma necessidade familiar”, disse Palocci ao magistrado. “Não sei se isso conta, desculpe minha ignorância, mas eu sou autônomo, eu dependo de trabalhar e acho que no processo de cumprimento de pena o trabalho não é negativo né? Tenho certeza de que o senhor pensa assim também”, completou o ex-ministro.

“Não, muito pelo contrário”, respondeu o juiz.

Segundo o pedido encaminhado em 4 de abril, Palocci cumpriria jornada das 9h às 17h de segunda a sexta-feira em uma das sedes do IUB em São Paulo.

Hoje o ex-ministro cumpre pena em regime “semiaberto diferenciado com recolhimento residencial integral”, usa tornozeleira eletrônica e só pode sair de casa com autorização judicial. As visitas são limitadas a pessoas sem relação com a Lava Jato.

Rotina

Segundo pessoas próximas, Palocci passa os dias cuidando de plantas e escrevendo, no apartamento de 500 m² avaliado em R$ 12 milhões nos Jardins.

Palocci adquiriu o hábito de plantar mudas de árvores frutíferas nos dois anos em que esteve preso em Curitiba. Na época ele aproveitava as sementes das frutas que consumia e semeava mudas com as quais presenteava colegas de cárcere e visitantes. Além disso, o ex-ministro faz exercícios físicos e escreve um livro com as reflexões que anotou na cadeia sobre os erros dele próprio e do PT.

O pedido de Palocci ainda será apreciado pelo Ministério Público Federal. A Procuradoria já questionou réus da Lava Jato que fizeram cursos a distância pelo IUB para abater penas.

O Instituto Universal Brasileiro afirmou que ofereceu uma vaga a Palocci, mas que, desde o fim de março, as conversas não avançaram. Ainda segundo o instituto, não foram discutidas questões de remuneração e não houve contratação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Política

Palocci pede autorização à justiça para voltar a trabalhar

O ex-ministro Antonio Palocci pediu autorização à Justiça para a voltar a trabalhar. Segundo o requerimento feito à 12.ª Vara Federal de Curitiba, Palocci recebeu um convite para ser “assessor de planejamento” do Instituto Universal Brasileiro, empresa que desde a década de 40 ministra cursos a distância.

De acordo com a defesa do ex-ministro, Palocci não vai ter salário fixo. A remuneração vai depender dos ganhos financeiros que o ex-todo-poderoso czar da economia nos governos Luiz Inácio Lula da Silva proporcionar à empresa.

Em janeiro, o jornal O Estado de S. Paulo mostrou que ele disse a pessoas próximas que desejava retomar as atividades de consultor. Antes, ele próprio confessou ter usado a empresa Projeto Consultoria para camuflar milhões de reais oriundos de propinas.

Desde novembro Palocci cumpre pena em seu apartamento no bairro dos Jardins, em São Paulo. Condenado a 12 anos e 2 meses de detenção na Lava Jato, o ex-petista ganhou o benefício e redução na pena para 9 anos de prisão depois de se tornar colaborador da Justiça.

Em audiência com o juiz Danilo Pereira Junior, no fim do ano passado, ele mesmo pediu autorização para voltar a trabalhar. “Não quero passear, não quero nada, mas trabalhar, assim, acho que é uma necessidade familiar”, disse Palocci ao magistrado. “Não sei se isso conta, desculpe minha ignorância, mas eu sou autônomo, eu dependo de trabalhar e acho que no processo de cumprimento de pena o trabalho não é negativo né? Tenho certeza de que o senhor pensa assim também”, completou o ex-ministro.

“Não, muito pelo contrário”, respondeu o juiz.

Segundo o pedido encaminhado em 4 de abril, Palocci cumpriria jornada das 9h às 17h de segunda a sexta-feira em uma das sedes do IUB em São Paulo.

Hoje o ex-ministro cumpre pena em regime “semiaberto diferenciado com recolhimento residencial integral”, usa tornozeleira eletrônica e só pode sair de casa com autorização judicial. As visitas são limitadas a pessoas sem relação com a Lava Jato.

Rotina

Segundo pessoas próximas, Palocci passa os dias cuidando de plantas e escrevendo, no apartamento de 500 m² avaliado em R$ 12 milhões nos Jardins.

Palocci adquiriu o hábito de plantar mudas de árvores frutíferas nos dois anos em que esteve preso em Curitiba. Na época ele aproveitava as sementes das frutas que consumia e semeava mudas com as quais presenteava colegas de cárcere e visitantes. Além disso, o ex-ministro faz exercícios físicos e escreve um livro com as reflexões que anotou na cadeia sobre os erros dele próprio e do PT.

O pedido de Palocci ainda será apreciado pelo Ministério Público Federal. A Procuradoria já questionou réus da Lava Jato que fizeram cursos a distância pelo IUB para abater penas.

O Instituto Universal Brasileiro afirmou que ofereceu uma vaga a Palocci, mas que, desde o fim de março, as conversas não avançaram. Ainda segundo o instituto, não foram discutidas questões de remuneração e não houve contratação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Política

Palocci pede autorização à justiça para voltar a trabalhar

O ex-ministro Antonio Palocci pediu autorização à Justiça para a voltar a trabalhar. Segundo o requerimento feito à 12.ª Vara Federal de Curitiba, Palocci recebeu um convite para ser “assessor de planejamento” do Instituto Universal Brasileiro, empresa que desde a década de 40 ministra cursos a distância.

De acordo com a defesa do ex-ministro, Palocci não vai ter salário fixo. A remuneração vai depender dos ganhos financeiros que o ex-todo-poderoso czar da economia nos governos Luiz Inácio Lula da Silva proporcionar à empresa.

Em janeiro, o jornal O Estado de S. Paulo mostrou que ele disse a pessoas próximas que desejava retomar as atividades de consultor. Antes, ele próprio confessou ter usado a empresa Projeto Consultoria para camuflar milhões de reais oriundos de propinas.

Desde novembro Palocci cumpre pena em seu apartamento no bairro dos Jardins, em São Paulo. Condenado a 12 anos e 2 meses de detenção na Lava Jato, o ex-petista ganhou o benefício e redução na pena para 9 anos de prisão depois de se tornar colaborador da Justiça.

Em audiência com o juiz Danilo Pereira Junior, no fim do ano passado, ele mesmo pediu autorização para voltar a trabalhar. “Não quero passear, não quero nada, mas trabalhar, assim, acho que é uma necessidade familiar”, disse Palocci ao magistrado. “Não sei se isso conta, desculpe minha ignorância, mas eu sou autônomo, eu dependo de trabalhar e acho que no processo de cumprimento de pena o trabalho não é negativo né? Tenho certeza de que o senhor pensa assim também”, completou o ex-ministro.

“Não, muito pelo contrário”, respondeu o juiz.

Segundo o pedido encaminhado em 4 de abril, Palocci cumpriria jornada das 9h às 17h de segunda a sexta-feira em uma das sedes do IUB em São Paulo.

Hoje o ex-ministro cumpre pena em regime “semiaberto diferenciado com recolhimento residencial integral”, usa tornozeleira eletrônica e só pode sair de casa com autorização judicial. As visitas são limitadas a pessoas sem relação com a Lava Jato.

Rotina

Segundo pessoas próximas, Palocci passa os dias cuidando de plantas e escrevendo, no apartamento de 500 m² avaliado em R$ 12 milhões nos Jardins.

Palocci adquiriu o hábito de plantar mudas de árvores frutíferas nos dois anos em que esteve preso em Curitiba. Na época ele aproveitava as sementes das frutas que consumia e semeava mudas com as quais presenteava colegas de cárcere e visitantes. Além disso, o ex-ministro faz exercícios físicos e escreve um livro com as reflexões que anotou na cadeia sobre os erros dele próprio e do PT.

O pedido de Palocci ainda será apreciado pelo Ministério Público Federal. A Procuradoria já questionou réus da Lava Jato que fizeram cursos a distância pelo IUB para abater penas.

O Instituto Universal Brasileiro afirmou que ofereceu uma vaga a Palocci, mas que, desde o fim de março, as conversas não avançaram. Ainda segundo o instituto, não foram discutidas questões de remuneração e não houve contratação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Destaques

Discussão de três década

Em clima tenso, STF julga prisão após 2ª instância

Em pauta

Para Mansueto, complexidade impede aprovação rápida da reforma tributária


Guedes: reunião com Maia e Alcolumbre é sobre agenda econômica pós-Previdência

Ministro da fazenda

Guedes: reunião com Maia e Alcolumbre é sobre agenda econômica pós-Previdência



Alta no Ibovespa é moderada por cautela interna apesar de melhora externa

Mercado

Alta no Ibovespa é moderada por cautela interna apesar de melhora externa


Blog

Somos todos de tecnologia

Por Cecília Andreucci

Por Cecília Andreucci

Somos todos de tecnologia

Tecnologia é cultura e entender cultura é um trabalho fundamentalmente humano


Internacional


Presidente quer nova votação separatista na Catalunha, onde seguem protestos

Espanha

Espanha

Presidente quer nova votação separatista na Catalunha, onde seguem protestos

Dois americanos são detidos na China acusados de atividade ilegal na fronteira

Diplomacia

Diplomacia

Dois americanos são detidos na China acusados de atividade ilegal na fronteira

Pence chega à Turquia para tentar obter cessar-fogo na Síria

Estados Unidos

Estados Unidos

Pence chega à Turquia para tentar obter cessar-fogo na Síria


Luto

Lázaro de Mello Brandão, ex-chairman do Bradesco, morre aos 93 anos

"Seu Brandão"

"Seu Brandão"

Lázaro de Mello Brandão, ex-chairman do Bradesco, morre aos 93 anos

Lázaro Brandão passou por todas as áreas no banco, fundado por Amador Aguiar. Assumiu a presidência do Bradesco em 1981. A partir de 1990, acumulou o cargo de presidente do Conselho de Administração.


Editorial

O megaleilão de R$ 112 bilhões

Por Carlos José Marques

Por Carlos José Marques

O megaleilão de R$ 112 bilhões

Já desponta como a mais promissora notícia deste primeiro ano de Governo o megaleilão do excedente da cessão onerosa do petróleo do pré-sal, que deve ocorrer no mês que vem, com previsão de arrecadação na casa de R$ 112 bilhões. Será, em se confirmando, um resultado tão extraordinário que pode significar a redenção orçamentária do Estado

Felipe Miranda, estrategista-chefe da Empiricus

Felipe Miranda, estrategista-chefe da Empiricus

"Investidor é como boxeador. Se estiver domado não produz nada"

O principal nome do site de recomendações financeiras que mais barulho causou no Brasil nos últimos anos fala sobre os resultados que obteve a partir de estratégias de marketing incisivas e explica por que sua empresa optou por uma postura mais zen


Tecnologia

Sono hype

O foco agora é na cama

O foco agora é na cama

Sono hype

A indústria do bem-estar chega à era pós-fitness e alimentação saudável: a hora de dormir


Acerto de contas

JBS

Acerto de contas

Com desembolso de R$ 5 bilhões, JBS conclui o pagamento da totalidade das dívidas com bancos públicos reguladas pelo Acordo de Normalização, de 2018

O plano elétrico da Renault

Mobilidade

O plano elétrico da Renault

A marca francesa acelera suas vendas fortalecendo parcerias com governos e entidades dedicadas a popularizar os motores carbono zero


Dinheiro da semana

Bolsonaro bate boca com Bivar e racha com PSL

Crise no partido

Crise no partido

Bolsonaro bate boca com Bivar e racha com PSL

O estopim teria sido a declaração dada, na manhã da própria quarta, pelo presidente da legenda, o deputado federal Luciano Bivar, segundo quem a relação de Bolsonaro com o partido estava em estado terminal. “Ele já está afastado”, acrescentou Bivar


Ambiente competitivo estimula Santander

Expansão

Ambiente competitivo estimula Santander

Além do avanço por canais digitais, banco pretende ampliar rede de agências que atendem a cadeia do agronegócio, desde fornecedores, produtores até a agroindústria

Juro baixo destrava ofertas de ações

Onda de IPOS's

Juro baixo destrava ofertas de ações

Volume financeiro em operações iniciais e de aumento de capital por companhias abertas já ultrapassa R$ 60 bilhões neste ano. A perspectiva é encerrar o quarto trimestre com movimentação total superior a R$ 70 bilhões — um recorde


Colunas


O que aprendi sobre chatbots na China

Eduardo Henrique

Eduardo Henrique

O que aprendi sobre chatbots na China

Conheci de perto cerca de 20 empresas durante esse período, já que o motivo principal dessa viagem era observar iniciativas chinesas disruptivas em diversos setores, em especial aquelas que focam na Inteligência Artificial para serviços de interação e suporte aos clientes